terça-feira, 30 de novembro de 2010

(PR) Suspeito de roubar carga de celulares da Vivo é preso em Curitiba

Mercadorias estão avaliadas em R$ 200 mil. Carro e arma usados no crime foram apreendidos. Polícia acredita que o acusado pode assaltado outros dois caminhões da empresa.

Um homem de 31 anos foi preso por investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), nesta segunda-feira (29), no Centro de Curitiba. Milton Cézar da Silva é suspeito de integrar uma quadrilha especializada em roubo de cargas. Há evidências de que ele tenha participado, no dia 11 de novembro, do assalto de um caminhão carregado com celulares e cartões de recarga da operadora Vivo. A carga roubada foi avaliada em R$ 200 mil.

De acordo com o delegado Silvan Rodney Pereira, titular da DFR, as investigações apontavam para a participação de Silva no roubo. Após a prisão, os policiais foram à residência do acusado, em Piraquara, na região metropolitana, onde foram encontrados um automóvel Siena, uma pistola, uma máscara balaclava e um colete balístico, que teriam sido usados no assalto. Quatro aparelhos de celular e diversos cartões de recarga foram recuperados pela polícia.

Felippe Aníbal/ Gazeta do Povo / Cartões de recarga estão entre os produtos recuperados pela polícia

Cartões de recarga estão entre os produtos recuperados pela polícia

Em depoimento, Silva negou que tenha assaltado o caminhão da operadora. Entretanto, segundo o delegado Vinícius Martins, vários indícios apontam para a participação do suspeito no crime. Vítimas reconheceram o carro apreendido com o acusado, como o veículo usado pelos assaltantes. No roubo, os ladrões usavam máscaras e coletes à prova de balas. “Além disso, testemunhas apontaram que Silva tem o porte físico de um dos assaltantes”, disse o delegado.

A polícia acredita ainda que Silva pode ter participado de outros dois assaltos a caminhões que transportavam cargas para operadora Vivo. Segundo a DFR, todas as ações foram semelhantes. Como nega participação nos roubos, Silva foi indiciado por falsidade ideológica, porte ilegal de armas e receptação. A polícia trabalha para conseguir provas para que ele responda também por roubo.

FONTE: GAZETA DO POVO

Postar um comentário