segunda-feira, 31 de outubro de 2011

(AL) PRF recupera caminhão com carga avaliada em mais de R$ 1 milhão

Ainda no domingo (30), uma carreta carregada com produtos diversos, cuja carga total estava avaliada em mais de R$ 1 milhão de reais, foi recuperada pela PRF em Novo Lino/AL. O motorista, de 30 anos de idade, natural de Tubarão/SC, foi preso por receptação de produtos roubados.

De acordo com as informações passadas pela transportadora proprietária do automóvel, a carreta havia sido tomada de assalto por volta do meio-dia, em Teotônio Vilela/AL.

A informação do roubo foi repassada para a PRF, que estava durante todo o dia na expectativa da recuperação. Perto das 16h, a carreta foi avistada em Novo Lino e a equipe de plantão abordou o automóvel. O motorista foi preso por receptação de produtos roubados e foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil local. Segundo o preso, ele não havia participado do assalto e tinha apenas sido contratado, por R$ 3 mil, para levar a carreta, carregada principalmente com produtos de informática, materiais farmacêuticos e tecidos, até Recife/PE.

FONTE: PRIMEIRA EDIÇÃO

(MT) Ladrões obrigam vítimas a carregar mercadorias durante assalto

Vigilante da empresa foi rendido e amarrado por suspeitos, segundo a PM. Assaltantes fugiram com caminhão cheio de mercadorias roubadas.

Uma empresa de transporte de carga foi assaltada por uma quadrilha na madrugada desta segunda-feira (31) no bairro Distrito Industrial, em Cuiabá. De acordo com a polícia, os funcionários da transportadora que se encontravam no local no momento do roubo disseram que os suspeitos entraram no local com um caminhão e os obrigaram a carregar as mercadorias, entre elas eletroeletrônicos e confecções.

O vigilante do estabelecimento, segundo a Polícia Militar, foi rendido por cinco homens armados e amarrado no chão da guarita com as mãos para trás. Depois do roubo, os ladrões fugiram. Porém, no estacionamento da empresa eles haviam deixado cair um aparelho de celular constando um número de telefone de uma pessoa que foi detida em frente ao local para averiguação.

No veículo em que o outro suspeito estava foram encontradas algumas peças de roupa que, conforme a polícia, possivelmente foram roubadas da transportadora. Diante da suspeita, os policiais o encaminharam à Central de Flagrantes do município. Os outros suspeitos, no entanto, não foram capturados até a manhã desta segunda-feira.

A polícia alegou que não foi possível especificar os produtos roubados, pois os funcionários da transportadora estavam aguardando a chegada do gerente para comparar as notas fiscais com os produtos que não foram levados.

Baterias furtadas
Praticamente no mesmo horário, um outro furto foi registrado em uma auto peças no Jardim Leblon, na capital. A proprietária do comércio disse à polícia que os suspeitos arrombaram a porta da frente e furtaram cinco baterias de veículo automotivo. A PM fez rondas pela região, mas não encontrou nenhum suspeito.

FONTE: G1 MATO GROSSO

(SP) Assaltantes fazem três reféns em roubo de cargas

Caminhão é esvaziado por quadrilha em Francisco Morato. Motorista e ajudantes vivem momentos de pânico.

A primeira de 30 entregas que um motorista e dois ajudantes das Casas Bahia fariam durante o dia desta segunda-feira (31) foi interrompida pela ação de uma quadrilha, em Francisco Morato. Os jundiaienses Rafael César Leite, João Benedito Batista Balena e Rafael Silva Lucas, todos de 26 anos, foram surpreendidos por dois homens armados por volta das 8h30, quando estavam na cidade vizinha.

“Foi tudo muito rápido, um deles desceu de um carro apontando a arma e nos mandou entrar no baú do caminhão”, conta o motorista Rafael César.

Os três foram mantidos reféns até que os bandidos conseguissem descarregar as mercadorias em um lugar que acreditam ser uma chácara.

“Não deu para ver onde estávamos, mas devia ser um local afastado da região central porque rodamos bastante até o caminhão parar. Nesse momento, vários outros [bandidos] ajudaram a descarregar e todos estavam encapuzados.”

Por volta das 11h, o caminhão foi abandonado pelos ladrões na avenida Nami Azem, região da Colônia, em Jundiaí. Quando as vítimas perceberam que não havia mais nenhuma movimentação da quadrilha ao redor do veículo, começaram a bater no baú para chamar a atenção.

“Duas senhoras nos ouviram e chamaram ajuda”, diz João.

Os funcionários da empresa não sabem avaliar o valor total das mercadorias e, segundo a assessoria de imprensa das Casas Bahia, o assunto não será comentado por questão de segurança. A polícia ainda investiga o caso.

Risco / O medo de morrer foi o sentimento que mais tomou conta dos três trabalhadores durante a ação dos bandidos.

“A gente tentou manter a calma, mas passa de tudo pela cabeça. Não dá para saber o que os caras vão fazer com você”, desabafa o motorista Rafael, que já passou pela mesma situação há cinco anos, também durante entrega de mercadorias.

“É uma sensação horrível porque você não tem o que fazer. Hoje minha preocupação era de que alguém desconfiasse e a polícia começasse uma perseguição com a gente trancado dentro daquele baú escuro. Nós não sabíamos se sairíamos vivos”, disse o motorista.

FONTE: DIARIO DE S.PAULO

terça-feira, 25 de outubro de 2011

(SP) presos 4 suspeitos de roubar carga; grávida vigiava cativeiro

Quatro suspeitos de integrar uma quadrilha de roubo de cargas foram presos na manhã desta terça-feira no Parque Paulistano, em São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo. De acordo com o delegado Francisco Solano de Santana, da divisão de Roubos e Extorsões, o grupo abordava motoristas de caminhões na região das Marginais.

Os criminosos foram flagrados em um cativeiro onde mantinham um motorista refém, vítima de roubo por volta das 9h, quando trafegava pelo Complexo Viário Jacu Pêssego, sentido Mauá (ABC Paulista). O local para onde eram levadas as vítimas era vigiado por uma grávida com a ajuda de outro suspeito, segundo o delegado.

"Via de regra uma grávida não desperta suspeita ou desconfiança da vizinhança", afirmou Santana. As vítimas permaneciam entre oito e 12 horas no cativeiro, depois eram liberadas. De acordo com Santana, além das cargas, os bandidos tinham como alvo caminhões novos. Efetuado o roubo, os veículos eram revendidos por 10% do valor total do caminhão. "Caminhões de R$ 300 mil eram vendidos por R$ 30 mil. A carga também era repassada por um valor bem menor", disse o delegado.

No Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) para prestar depoimento, o motorista encontrado no cativeiro contou que sofreu ameaças psicológicas e de morte durante as cerca de uma hora e meia em que permaneceu no local até a chegada dos policiais.

"Eles disseram que só queriam a carga e o caminhão, que não iam fazer nada comigo, mas depois eles ficavam ameaçando a toda hora, que se não desse certo iam me matar", afirmou o motorista de 49 anos, que se identificou apenas como Francisco.

FONTE: TERRA NOTICIAS

 

(BR) Facção criminosa paulista atua em 16 Estados do país

Tráfico de drogas no Rio Grande do Sul, assalto a banco em Alagoas, roubo de carga no Ceará e lavagem de dinheiro em Mato Grosso. Em comum, esses crimes têm a participação da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Levantamento feito pela reportagem com promotores, delegados, policiais federais e secretários de Segurança apontou atuação do PCC em 16 Estados (AL, BA, CE, MA, MG, MS, MT, PB, PE, PI, PR, RN, RS, SE, SP e TO).

O número de Estados com ações recentes do grupo é o dobro do constatado pela CPI do Tráfico de Armas da Câmara em 2006. A expansão é atribuída principalmente a fatores econômicos (mais negócios) e a mudanças em sua hierarquia. Para autoridades, a migração ganhou força a partir de 2006, ano dos ataques da facção em SP, graças ao aumento da repressão no Estado e à busca por novos mercados.

"O vínculo aqui começou há quatro anos, quando presos maranhenses foram para presídios federais e tiveram contato com criminosos do PCC", afirmou Aluísio Mendes, secretário de Segurança Pública do Maranhão. Segundo ele, quando retornaram ao Estado, os presos "vieram com a ideia de fundar uma célula do PCC" e criaram o PCM (Primeiro Comando do Maranhão).

O mesmo ocorreu em Alagoas. Segundo o delegado Paulo Cerqueira, da Deic (Divisão Especial de Investigação e Captura), o PCC se infiltrou a partir de 2009.

Para o coordenador do Núcleo de Estudos da Violência da USP, Sérgio Adorno, a descentralização do PCC favorece seu crescimento porque o comando pode ser reconstruído quando algum membro é preso ou sai da organização.

Nos Estados, autoridades e especialistas afirmam que o PCC tem dois modos de atuação. O primeiro é a associação com grupos criminosos locais, que oferecem pessoal e recebem, em troca, armas, "know-how" e drogas.

Em Pernambuco, a PF desarticulou, em fevereiro, uma quadrilha ligada à facção que distribuía drogas com vans e motoboys para BA, PI e CE a partir de Salgueiro (PE). O segundo modo de atuação é a criação de uma espécie de filial.

Em geral, os novos aliados são arregimentados dentro de presídios por criminosos do PCC oriundos de outros Estados, que foram transferidos ou presos na região. Como forma de atrair novos membros, a facção oferece apoio jurídico e financeiro para parentes ou faz ameaças violentas, como detectado em prisões do PR.

Segundo autoridades de AL e CE, grupos criminosos locais enviam dinheiro para contas de laranjas ligados à facção. "Há várias pessoas do PCC aqui no Estado que mandam 20% de todas as operações para São Paulo", afirmou Francisco Crisóstomo, do Departamento de Inteligência Policial do Ceará.

FONTE: JORNAL FLORIPA

(RS) BR-386, entre Canoas e Tabaí, é rota de criminosos

Prejuízo anual com a perda de mercadorias chega a R$ 80 milhões por ano, somente no Estado.

Com a média de três ataques por semana, o trecho entre Canoas e Tabaí da BR-386 é considerado o mais crítico quando o assunto é roubo de cargas pela Delegacia de Repressão ao Roubo e ao Furto de Cargas (DRFC) e pela Polícia Rodoviária Federal.
O Sindicato das Empresas Transportadoras de Cargas do Estado do RS (Setcergs) calcula que o prejuízo anual com a perda de mercadorias chega a R$ 80 milhões por ano, somente no Estado. Em todo o País, o valor sobe para R$ 900 milhões. A estrada liga o Estado ao norte do País. De Canoas a Iraí, na divisa com Santa Catarina, são 450 quilômetros.
O trecho mais complicado fica entre Canoas e Lajeado. Em Nova Santa Rita, são seis pontos de risco, onde as quadrilhas abordam os motoristas, fazem o transbordo da carga ou liberam as vítimas dos ataques.
Segundo titular da DRFC, delegado Rodrigo Bozzetto, eletroeletrônicos, medicamentos e polietileno sãs as cargas mais visadas pelos assaltantes. “São produtos de fácil reposição no mercado”, explica. O delegado aponta ainda a BR-290, na região de Arroio dos Ratos e Pantano Grande, como outro trecho problemático.

Pontos críticos (no trecho Canoas-Tabaí)

  • Entroncamento da BR-386 com Berto Círio, em Canoas
  • Ponte sobre o Rio dos Sinos, na divisa de Canoas e Nova Santa Rita
  • Em frente a hotel, em Nova Santa Rita
  • Acesso à Eletrosul, em Nova Santa Rita
  • Saída do Pólo Petroquímico, em Montenegro
  • Entroncamento de Triunfo

Fonte: DRFC/Deic

Comissão no Setcergs

O Setcergs há muitos anos enfrenta a questão e criou uma comissão que acompanha a ação da polícia na tentativa de coibir o roubo de cargas. O grupo reúne-se a cada 15 dias. Na próxima semana, um novo encontro irá discutir o trabalho em andamento da DRFC, Polícia Rodoviária e equipes Gerenciadoras de Risco.

O diretor do sindicato Renato Vitória acredita que a ação conjunta possa reduzir o crime que traz tantos prejuízos. Além da perda da carga, há os gastos com seguro, equipamentos de rastreamento e escolta armada, dependendo do valor do material transportado. “As seguradoras impõem condições, como estes equipamentos. Também há aumento no preço do seguro caso a empresa já tenha sofrido ataque”, explica.

Receptador

A pedra no sapato da polícia é descobrir quem recebe a carga roubada. “Roubam porque alguém recepta”, resume o chefe da 4ª Delegacia da PRF, inspetor Adão Vilmar Madril. O delegado Rodrigo Bozzetto, da DRFC, concorda: “Nossa maior preocupação é localizar quem recoloca estes produtos no mercado.”

Com a proximidade do fim do ano, caminhões com polietileno (usado na indústria de plástico) são bem procurados por quadrilhas. “As fábricas usam muito essa matéria-prima. Tem colocação rápida no mercado”, comenta Bozzetto.

Operação faz mapeamento

Em agosto, a Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto de Cargas, ligada ao Deic, e a Polícia Rodoviária Federal organizaram a operação chamada Estrada Segura I, entre Canoas e Lajeado. Das 21 horas do dia 4 às 6 horas do dia 5, policiais civis e rodoviários monitoraram a rodovia BR-386 e apontaram os locais de maior risco.

Tanto o delegado Rodrigo Bozzeto, da DRFC, como o inspetor Adão Madril, da PRF, elogiam a ação. “É uma parceria muito importante para coibir este tipo de crime”, opina Madril, que aponta a redução do problema desde então. Mesmo assim, o patrulhamento não é diminuído. A Polícia Rodoviária mantém equipes táticas à noite para surpreender os bandidos.

Estudo para instalar câmeras

Diariamente passam 25 mil veículos no trecho da 386 entre Canoas e Tabaí. A chamada Estrada da Produção tem vários acessos ao interior e liga a Região Metropolitana a pontos do Estado. “Dali é possível acessar a Serra, o Norte, o Planalto Médio.

Por Santa Maria é possível ir à Fronteira Oeste”, explica o inspetor Adão Madril, da PRF. A Superintendência da PRF tem projeto para a instalação de câmeras de monitoramento entre Canoas e Lajeado.

Segundo o Núcleo de Comunicação Social da superintendência, há o estudo, mas não previsão para início, pois ainda se estrutura as câmeras na BR-116, que começaram a funcionar no início do mês.

“Sentados em bomba-relógio’’

A sensação de insegurança é permanente para quem transporta cargas. O diretor de Assuntos Sindicais do Sindicato dos Empregados em Transporte Rodoviário de Carga Seca do RS, Marco Antônio dos Santos, comenta que o medo é constante ao volante. “Estamos sentados em uma bomba-relógio. Qualquer carro diferente que se aproxima é motivo para ficar preocupado”, relata. O sindicato não tem estatísticas sobre o problema, mas trabalha para dar suporte aos associados vítimas de ataques nas estradas. “Muitos são espancados, humilhados. Oferecemos assistência psicológica.” O próprio Silva já foi assaltado, durante o transporte de uma carga de sapatos até o Rio de Janeiro. “A sensação é terrível”, recorda.

Medo é companheiro na estrada

Mesmo sem nunca ter sofrido assalto em 14 anos de profissão, o caminhoneiro Sidnei Bueno, 32 anos, confessa que o medo está sempre presente ao pegar a estrada. Natural de Palmeiras das Missões, ele passa até 50 dias longe da família. Uma bíblia no painel da cabine do caminhão revela a fé de Bueno, que é evangélico. “Me agarro em Deus”, fala.

Motorista ainda no hospital

Marcondes da Silva Leal, 43, tomou uma atitude extrema ao ser vítima de um assalto na Tabaí. Quando o caminhão carregado de polietileno passou em frente ao posto da PRF, ele jogou-se da cabine.

Com a batida da cabeça no asfalto, o motorista entrou em coma e segue internado no Hospital de Pronto-Socorro de Canoas em estado grave. O caso começou a ser investigado pela Delegacia de Polícia de Nova Santa Rita e foi repassado para a unidade de Triunfo, onde ocorreu o assalto.

A polícia achou o caminhão, ainda com a carga, em Nova Santa Rita. O inspetor da PRF Adão Madril assistiu à queda de Leal. “No início, pensamos ser um atropelamento. Ligando os fatos, descobrimos que se tratava de um roubo a carga”, recorda.

Onde denunciar

Disque-Denúncia Roubo de Cargas - 0800.5104701 

Polícia Rodoviária Federal – 191

FONTE: DIARIO DE CANOAS

PROFISSÃO REPORTER (DE HOJE) a vida dos caminhoneiros que viajam o Brasil

  • Perigo na estrada

    Trechos precários, acidentes e cenas de imprudência na Transamazônica

  • Longas distâncias

    Os motoristas viajam muitas horas sem parar e ficam meses sem voltar para casa

  • Comércio de fretes

    A negociação é feita no maior terminal de cargas da América Latina, em São Paulo.

FONTE: GLOBO.COM

(RN) Assaltos contra veículos de carga nas rodovias do Oeste são coibidos pela tecnologia

Diante do cenário de violência urbana que se instalou nas estradas que cortam o interior Potiguar, com frequentes registros de assaltos à mão armada, além de outros delitos de menor potencial ofensivo, ser motorista de veículos de carga se transformou em uma verdadeira profissão de risco que tem sua insegurança minimizada pela aplicação da tecnologia que tenta coibir ocorrências de roubos nas estradas de Mossoró e região.

O resultado é que a utilização de equipamentos de rastreamento eletrônico tem contribuído para a redução de registros de roubos nas vias que cortam a região Oeste.
Apesar da Delegacia da Polícia Rodoviária Federal em Mossoró e do 2° Departamento de Polícia Rodoviária Estadual (2° DPRE) não dispor de estatísticas oficiais com relação ao registro do número de assaltos contra veículos de carga, levantamentos preliminares realizados pelo CORREIO DA TARDE dão conta de que ocorrências de assaltos à mão armada contra veículos de carga fazem parte da realidade cotidiana dos motoristas que trafegam pelas estradas que cortam o interior Potiguar.

Relatos como o do motorista Silva Lopes, condutor de veículos de carga há 16 anos, dão uma percepção do retrato da violência nas estradas. "A sensação é de humilhação. A véspera de cada viagem é um desafio para os nervos. Nos últimos seis meses, sofri quatro tentativas de assalto em estradas dos Vales do Apodi e do Açu, dois deles em uma mesma noite", contou Lopes.

"O pior e último incidente ocorreu em setembro, por volta das 18h. Na BR-405, no trecho entre Apodi e Mossoró. O caminhão em que estava foi ultrapassado por um Santana vermelho com pelo menos quatro homens armados", relatou o experiente motorista. Ele disse que as marcas da violência ficaram no pára-brisa do caminhão. Cinco tiros vazaram os vidros dianteiros, mas ninguém ficou ferido. O motorista preferiu uma manobra arriscada: jogou o veículo em cima do automóvel dos criminosos e conseguiu escapar.

Outro profissional do volante que também já viveu momentos de tensão à bordo de um veículo de carga foi o motorista de carreta, João Dias, de 55 anos. Ele conta que há um ano, sofreu o terceiro assalto da profissão de 16 anos na BR-304, na altura do município de Assu. A carreta em que ele estava foi cercado por um Golf com quatro homens armados de espingardas e pistolas de grosso calibre. Dias, que estava ao volante, se viu obrigado a estacionar o veículo sob a mira das armas. Após a abordagem violenta, os criminosos o conduziram a uma estrada de chão batido para agir longe da rodovia. Antes que eles começassem a roubar, a polícia chegou ao local, depois de avisada por um caminhoneiro. Os criminosos fugiram do local sem levar nada.

Rastreamento eletrônico: O uso da tecnologia no sistema de transporte de cargas e valores tem contribuído para coibir ações criminosas na modalidade de assaltos. Pelo menos, essa é a constatação feita por uma empresa de Mossoró que atua no ramo há cerca de 40 anos.

Segundo o gerente Diogo Pinto, no período anterior a 2001, antes da adoção do sistema de rastreamento eletrônico, a transportadora contabilizava uma média de 10 a 15 casos de roubos de carga.

Com a implantação da tecnologia via satélite e monitoramento on-line, ele conta que de 2001 para cá foi registrado apenas um caso de roubo de carga. "No ano passado, em uma ação criminosa ousada, tivemos um veículo de carga que foi roubado na altura da Bahia", relata Diogo Pinto explicando que o uso de rastreamento eletrônico trouxe um certo alívio tanto para a empresa, quanto para motoristas e clientes.

Os sistemas de rastreamento de veículos possuem as tecnologias GPS (Global Positioning System) ou DTOA (Differential Time of Arrival) que permitem localizar e bloquear o veículo até que a polícia ou o proprietário cheguem ao local. Os rastreadores possuem também botões de emergência que são instalados no carro e servem para ativar uma central de segurança da empresa.
Profissionais de plantão podem localizar o veículo num mapa que aparece no monitor de seus computadores, enviar uma equipe de auxílio para o local e avisar a polícia.

Combate ao Crime: No final do ano passado, a polícia aplicou um golpe de grandes proporções contra o roubo de cargas. Em dezembro de 2010, a Polícia Federal desarticulou quatro quadrilhas que atuavam roubando cargas no Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia e Ceará. As investigações foram iniciadas no mês de janeiro do ano anterior, após um roubo ocorrido no município de Caicó. A polícia prendeu 31 pessoas. Com exceção dos materiais perecíveis, todos os tipos de cargas estavam vulneráveis aos roubos. Os bandidos abordavam os motoristas quando os veículos estavam estacionados ou em estradas de difícil acesso.

Depois, as vítimas eram levadas para o cativeiro e ficavam sob poder dos sequestradores até a carga ser toda roubada. Na época, a Federal não informou como os bandidos eliminavam os rastreadores dos caminhões, circulavam por atalhos e também falsificavam as documentações apresentadas à Polícia. A estimativa da Polícia Federal é que 30 assaltos tenham sido realizados pelas quadrilhas ao longo de 2010. Pelo menos dez cargas foram recuperadas dos mais variados tipo de material (medicamento, eletrônicos, calçados, material de hospital, limpeza e higiene). O prejuízo calculado foi aproximadamente de R$ 5 milhões.

FONTE: CORREIO DA TARDE

(Piracicaba/SP) Trabalho policial e prevenção reduzem roubos de carga

A intensificação do trabalho policial e a maior conscientização das empresas devem reduzir o número de ocorrências de roubo de cargas na região de Piracicaba para o trimestre de julho a setembro. A sinalização foi feita pelo assessor de segurança da Fetcesp (Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado de São Paulo), o coronel Paulo Roberto de Souza, que participou ontem da reunião de diretoria da entidade em Piracicaba.

Na avaliação do coronel, apesar da redução no número de registros em relação ao ano passado, os prejuízos aumentaram. “Isso significa uma ação mais organizada, focada, seletiva, e não um roubo de oportunidade, com menor impacto”, analisou Souza.

Segundo ele, as áreas que englobam as rodovias Anhanguera e Bandeirantes costumam ser alvos de roubos, principalmente no segmento eletrônico. “É uma região extremamente produtora e consumidora, o que torna a circulação de mercadorias muito grande na área.

A topografia da área também favorece muito esse tipo de ocorrência. Nos grandes eixos, existem muitas estradas, permitindo as chamadas rotas de fugas”, explicou. Segundo Souza, o volume de cargas que sai de São Paulo interligando os grandes centros do país é expressivo.

“Só para abastecer os grandes lojistas e shoppings da capital e da região metropolitana do Estado rodavam, até poucos anos atrás, 73 mil veículos por dia”, informou o assessor de segurança da Fetcesp.

FONTE: JORNAL DE PIRACICABA

(SP) Operação policial prende acusados de roubo de carga

Dois homens, de 36 e 27 anos, foram presos acusados de formação de quadrilha e roubo de caminhões de açúcar

Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Araraquara prendeu acusados de envolvimento com roubo de carga e assalto a um posto bancário, em operação realizada na madrugada desta segunda-feira, nos jardins Selmi Dei e América. Um carro e uma moto de São Carlos também foram apreendidos.

Dois homens, de 36 e 27 anos, foram presos acusados de formação de quadrilha e roubo de caminhões de açúcar. Os roubos começaram em maio, na Região de Araraquara.

Com os acusados foram apreendidos um carro, modelo Renault Megane, de cor preta, com placas de Ribeirão Preto e uma moto, modelo CB 300, da cor prata, com placas de São Carlos.

FONTE: PORTAL TERNURA

(MT) PRF apreende armas com supostos seguranças

No km 680 da BR 070, em Cáceres (225 km ao norte de Cuiabá), a Polícia Rodoviária Federal abordou um Gol com placas de Goiás, conduzido por um homem de 28 anos, e tendo com passageiros um homem de 33 e outro de 32 anos, todos vigilantes de escolta armada. Os três disseram que eram funcionários de uma de empresa de segurança e que estavam em serviço.

Porém, durante entrevista, todos os envolvidos entraram em contradição diversas vezes e não portavam licença para fazer escolta armada e, também, não sabiam informar qual veículo estavam escoltando. Diante dos fatos, os mesmos foram encaminhados à Polícia Federal para as devidas providências. Com eles foram apreendidas 03 pistolas calibre 380, com seis carregadores e 120 munições intactas; 01 espingarda boito de repetição, com 14 munições, e 02 algemas.

N. do A. “É MUITO MAIS COMUM DO QUE SE IMAGINA, VOCÊ  JA PEDIU TODA A DOCUMENTAÇÃO (CERTIFICADOS, AUTORIZAÇÕES) DA SUA EMPRESA DE ESCOLTA? ”

FONTE: GAZETA DIGITAL

sábado, 22 de outubro de 2011

BR-116, no (PR), é alvo de assaltos a caminhões de carga, diz polícia

Rodovia liga Curitiba a São Paulo. Uma das transportadoras teve prejuízo calculado em R$ 500 mil.

A BR-116, rodovia que liga Curitiba a São Paulo, é o principal alvo de assaltos a caminhões de carga no Paraná, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). As transportadoras afirmam que os assaltos a estes veículos estão cada vez maiores, principalmente quando a carga se trata de medicamentos, pneus e eletroeletrônicos.

O gerente de uma das transportadoras, que não quis se identificar, disse que a empresa sofreu seis assaltos nos últimos doze meses. O prejuízo foi calculado em R$ 500 mil. Segundo a polícia, este ano já foram registrados quase 100 casos desse tipo de roubo na capital.

A PRF informou também que as ações das quadrilhas são parecidas e são feitas normalmente em trechos de subidas e lombadas.

A tática dos ladrões é emparelhar um carro junto à cabine da vítima. Em seguida, o passageiro do carro aponta uma arma e dá a ordem para que o motorista reduza a velocidade. Enquanto isso, outros dois veículos fazem a escolta. Se o veículo é rastreado, os assaltantes entram pela janela da cabine e ligam um equipamento que desativa o sistema de monitoração.

"Eles agem com muita violência e muitas vezes tem armamentos pesados. Todas as ações de cada membro da quadrilha é pré-determinada pra eles não perderem tempo", afirma a policial Letícia Zacca.

Para concluir o roubo da carga, os caminhões são levados para uma estrada sem movimento, onde os produtos são transferidos para um outro caminhão. O motorista, que até esse momento é feito refém, é liberado em seguida.

FONTE: G1 PARANA

(AL) Polícia Rodoviária flagra furto de carga de cimento de caminhão na BR-101

Na noite desta quarta-feira (19), agentes da Polícia Rodoviária Federal flagraram o furto de uma carga de cimento a granel na BR-101, km 226, em um povoado do município de Porto Real do Colégio. A ação se deu após uma denúncia anônima sobre um caminhão amarelo, que transportava cimento, em atitude suspeita de furto ou desvio da carga.

Os agentes do posto policial da cidade de São Sebastião encontraram, no local, o veículo Volvo/ NL12, placas de Alagoas, com dois semireboques, placas de Santa Catarina, por trás de algumas casas que ficam às margens da BR 101.

O veículo estava abandonado no local com a chave na ignição e o compressor ligado, descarregando o cimento dentro de um casebre abandonado. Dentro do veículo, além de documentos, foram encontrados pertences do condutor, identificado por um funcionário da transportadora responsável pela carga de cimento, que havia sido liberada às 18h de ontem para ser entregue na cidade de Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco.

Os policiais realizaram buscas no local, mas não encontraram os responsáveis pelo furto. Os veículos foram encaminhados para o posto da Polícia Rodoviária de São Sebastião. O proprietário dos veículos compareceu ao posto policial e foi orientado a dirigir-se a uma delegacia de Polícia Civil para prestar queixa sobre o ocorrido.

Crime recorrente

Já é a terceira vez em um mês que agentes da PRF frustram furtos ou roubos a veículos com carga de cimento. No dia 14 de setembro, policiais prenderam em flagrante um jovem de 23 anos que estava furtando uma carga de cimento a granel na mesma localidade e nos mesmos veículos da ocorrência desta quarta-feira.

No último dia 20 de setembro, a Polícia Rodoviária prendeu mais dois homens pelo mesmo crime, desta vez no km 189 da BR 101, em Junqueiro. Um era o motorista do caminhão, que transportava o cimento e desviava a carga, e o outro trabalhava no transbordo.

FONTE: AQUI ACONTECE

(CE) Suspeito de roubar carga morre durante tiroteio

Outros dois homens foram detidos na mesma operação realizada por policiais civis no Município de Caucaia

Um tiroteio na tarde de ontem entre policiais civis e três homens suspeitos de roubo de carga terminou com um dos acusados morto e outros dois detidos. O confronto ocorreu em frente a uma casa no loteamento Garrote Village, no Município de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

De acordo com o delegado Bruno Figueredo, titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), os inspetores da Especializada concluíam a investigação sobre uma quadrilha que havia roubado uma carga de 500 fardos de açúcar, no último dia 18, no bairro João XXIII. "Os policiais encontraram a carga roubada ontem (anteontem) nessa residência onde ocorreu o tiroteio. Hoje (ontem), eles foram informados que os acusados haviam voltado ao local e foram até lá", disse Figueredo.
Reagiu
Segundo o delegado, o trio foi surpreendido dentro de um veículo Gol e atiraram em direção aos inspetores.

Ao perceberem a chegada de mais três policiais civis, dois suspeitos se renderam e um tentou fugir. O delegado afirmou que enquanto os inspetores imobilizavam Paulo Francis da Conceição Santos, o ´Sagati´, 26; e um adolescente de 17 anos, Francisco Itamar Gomes Carvalho, o ´China´, 25, correu em direção a um matagal e foi perseguido.

"Ele e um policial travaram luta corporal, a arma do inspetor caiu e o China se apoderou dela. Ao se aproximar e perceber que ele poderia matar o colega, outro inspetor atirou", disse.

Ferido no peito e no abdome, ´China´ foi levado para o Hospital Gonzaguinha de Antônio Bezerra, mas não resistiu aos ferimentos. Segundo a Polícia, ele já respondia a processos por roubo e tráfico de drogas.

O adolescente e Paulo Francis foram reconhecidos pela vítima do roubo da carga. O primeiro foi levado para Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). Paulo Francis, que possui antecedentes por assalto, foi autuado em flagrante por roubo qualificado. Ele negou ter cometido o crime.

FONTE: DIARIO DO NORDESTE

(BA) Mãe e Filho presos com Carga Roubada

Policiais do Serviço de Investigação da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas, através dos investigadores Luzivan Leal; Augusto Ribeiro; Alexsandro Malaquias e Elielson Carlos, sob o comando do delegado João Uzzum prenderam na manhã de ontem (19), três pessoas com uma carga roubada de uma empresa de produtos de limpeza e higiene. Os presos foram identificados como: Ala Santos de Jesus, 20 anos; Jailton da Silva Santos, 37 anos e a mãe Jiovanda da Silva Santos, 56 anos, todos os três acusados foram flagrados com a carga roubada, além de uma motocicleta roubada, encontrada na casa de Jiovanda.

O delegado João Uzzum afirmou que, inicialmente ocorreu um roubo de uma carga da empresa, Johnson e Johnson, na cidade de Salvador, nas proximidades do Posto Jaqueira, situado na BR 324, essa carga estava avaliada em 90 Mil Reais. “Pois, o motorista juntamente com o ajudante, que trabalham em uma transportadora de Feira de Santana, foi abordado, por dois bandidos armados. Sendo que, quando foram abordados, apareceram quatro veículos tipos Kombi, onde passaram a carregar as mesmas, com as mercadorias roubadas, mas, o ajudante memorizou a placa de uma das Kombi”.

João Uzzum ainda informou que “Após a placa de uma das Kombi, iniciamos uma investigação e conseguimos chegar, no proprietário da Kombi, que fez o transporte e depois chegamos em um outro motorista que transportou o veiculo em um caminhão, partir daí conseguimos chegar em outro endereço, aonde estava 100% da carga roubada e também conseguimos identificar que essa quadrilha é a mesma que roubou mais três cargas que estávamos investigando, uma carga de material elétrico, outra de caderno. Estamos com quatro pessoas presas”.

Jailton da Silva Santos

Jiovanda da Silva Santos

O delegado afirmou ainda que ainda vá continuar com as investigações para chegar no mentor intelectual das cargas roubadas.

FUNCIONÁRIA PÚBLICA

Ala Santos de Jesus

Jiovanda é funcionária pública há mais de 20 anos, onde trabalha no Departamento de Transito (DETRAN) em Salvador. “Lavramos o flagrante dela, por que a mesma é uma pessoa esclarecida, não é uma pessoa que tem dificuldade de entendimento das coisas, na residência dela, havia uma grande quantidade de mercadoria roubada, além de uma motocicleta, que foi tomada de assalto há dois meses, pois, ela com facilidade a acessos a dados de veículos e deixou a motocicleta roubada dentro da casa onde mora juntamente com o filho Jailton”.

Delegado João Uzzum

FONTE: GATA AMARRADA

(MG) Carreta tomada de assalto é localizada na 116

Uma carreta tomada de assalto na região da Serra do Macuco, na BR-262, foi localizada na manhã de quarta-feira (19), na BR-116, na região de Divino.

A carreta placa MPM 2814 - Alfredo Chaves (ES) foi encontrada abandonada no pátio do posto Timbosão, na rodovia federal. A carga, avaliada em 200 mil reais, não foi mexida. A cabine foi revirada e os ladrões tentaram desativar o sistema de rastreamento, mas não conseguiram e desistiram do roubo.

O motorista Alberto Patrocinio Júnior foi rendido por assaltantes no trecho da serra do Macuco, próximo a Rio Casca.. Os assaltantes colocaram uma arma em sua cabeça e o obrigaram a sair da cabine. Ele foi levado em um veículo e abandonado na BR-116, no posto próximo a Vila de Fátima (zona rural de Manhuaçu), de onde acionou a Polícia Militar.

O veículo foi encontrado abandonado. A Polícia Militar de Divino e a Polícia Rodoviária Federal registraram a ocorrência.

FONTE: PORTAL CAPARAÓ

(SC) Superintendente da PRF apresenta os primeiros resultados no combate ao roubo de carga e de passageiros e fala do plano de atuação no Estado

Um operação conjunta das polícias Rodoviária Federal, Militar Rodoviária e Militar e Civil no território catarinense, em especial na divisa com o Paraná e na Fronteira com a Argentina já trouxe os primeiros resultados no combate ao roubo de carga e de passageiros, afirmou hoje o novo superintendente da PRF, Silvinei Vasques. Ele falou na reunião da Frente Parlamentar do Transporte da Assembleia Legislativa de Santa Catarina e o presidente da Fetrancesc, Pedro Lopes.

Vasques ressaltou que houve a desarticulação de uma quadrilha há poucos dias em Santa Cecília, no Meio-oeste e que houve outro registro no Paraná, na rota da BR-153. Segundo ele, por isso, não houve mais registro naquele local nos últimos dias, região que vinha tendo uma série de ataques a ônibus de passageiros e a veículos de carga, constatado em números registrados na Polícia.

O assunto foi inclusive motivo de debates da Frente da Comissão de Transporte da Alesc e de um pedido de ação mais efetiva de Lopes e dos representantes das empresas de transporte de passageiros. O presidente da Fetrancesc elogiou as primeiras ações, para ele o destaque é esse trabalho conjunto e afinado entre todas as policiais e a visão estratégica de como o sistema precisa funcionar.

Vasques adiantou que a operação continua e que por isso outras prisões podem ocorrer. Mas afirmou que esse tipo de crime é bastante complexo, porque os bandidos deslocam-se para regiões com maior facilidade para praticar os crimes. Segundo ele, pelo levantamento até agora realizado, esses criminosos são de fora de Santa Catarina que chegaram por que em seus estados houve cerco policial.

Pessoal do administrativo agora atua no patrulhamento

Mas garantiu que aqui também terá um forte combate ao crime. Ele apresentou a sua proposta para isso. Disse que deslocou 27 funcionários da área administrativa e mais sete devem ser removidos para reforçar os pontos com menor efetivo, além de outros policiais do litoral que foram para o Oeste. O efetivo é de 480 policiais, número muito abaixo das necessidades catarinenses.

Disse que quando estiver concluído o concurso os aprovados serão deslocados para a região Oeste onde é preciso maior cobertura, especialmente por ser área de fronteira, que precisa ter uma atuação mais forte e permanente, determinação da presidente Dilma Rousseff.

Além disso, o Estado vai ganhar mais quatro postos da PRF, em Guaraciaba, na BR-163, em Iporã do Oeste, também na BR-163; em São Carlos, que é na BR-283 e São Domingos, na BR-480. Essas duas últimas são de jurisdição para infraestrutura do estado, mas de segurança são da União.

Vasques disse que será um processo de transição normal já negociado com a Polícia Militar Rodoviária (PMVr), no qual aos poucos a PRF assumirá 3.600 quilômetros de segurança de trânsito, que são . Atualmente são 2.300 quilômetros. Também será montada uma delegacia regional em São Miguel do Oeste para atender aquela região e com isso haverá mudanças na abrangência de cada delegacia.

Mas o superintende afirmou que ainda não há o total de recursos para esses investimentos, que vai depender da direção geral em Brasil. No entanto, ressaltou que a diretora geral da PRF, Maria Alice Souza está determinada a fazer o reforço na estrutura da instituição em Santa Catarina. Que além de novos postos terá construção de postos para substituir os atuais que estão em situação de "misericórdia", como de Campos Novos, Xanxerê, Maravilha Rio Negrinho.

Essas obras devem receber verbas da Copa do Mundo de 2014, já que são rodovias por onde passam turista argentinos, uruguaios e paraguaios. Em Mafra, já encaminhar, solicitou apoio da Frente e da Fetrancesc, para que a secretaria da Fazenda ceda o imóvel onde funcionava o posto da receita estadual.

No local será montado um posto da PRF, enquanto a concessionária Autopista Planalto Sul edifique a unidade prevista em contrato, mas que está com alguns problemas na negociação com a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT).

Quanto à desativação do Posto na BR-280, em São Francisco do Sul, disse Vasques que são muitas as criticas, mas que a medida foi adotada porque não havia pessoal conforme determina a lei e que houve reforço no posto de Guaramirim. Além disso, segundo ele, os postos não são suficientes para coibir a violência e o desrespeito às leis. Para ele o que resolve são as viaturas, algumas já estão trabalham, que patrulham as rodovias.O superintendente disse que a PRF de Santa Catarina deverá receber mais um helicóptero e mais veículos e equipamentos.

O presidente da Frente, deputado Darci de Matos disse ao superintendente que é necessário achar uma solução melhor para o problema da BR-280 em São Francisco, porque existe demanda por maior segurança. Ele afirmou que está havendo patrulhamento e depois com a duplicação o posto ficará no ponto que possa atender adequadamente toda a região. O deputado Neodi Saretta também disse que as mudanças não podem implicar em fechamento de postos , em especial citou o de Concórdia. Vasques garantiu que isso não irá acontecer. Fonte: Imprensa Fetrancesc
Fotos: juraci perboni

FONTE: FETRANCESC

(AM) Roubo de carga em transporte da TAM prejudica estudo na Amazônia

Os aparelhos eram considerados essenciais para uma das maiores pesquisas sobre a dinâmica atmosférica da Amazônia e sumiram durante o assalto a um veículo de transportes da companhia aérea TAM.

Manaus - Equipamentos avaliados em R$ 25 mil do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) foram roubados em São Paulo. Os aparelhos eram considerados essenciais para uma das maiores pesquisas sobre a dinâmica atmosférica da Amazônia e sumiram durante o assalto a um veículo de transportes da companhia aérea TAM.

Além das malas, que pesam 25 kg cada uma, os assaltantes levaram ainda boa parte da carga transportada pela empresa, que incluía desde itens de perfumaria até equipamentos médicos.

"Esse material é essencial. Sem ele, precisaremos diminuir a quantidade de amostras de ar na Amazônia, o que pode comprometer o resultado final sobre os gases-estufa na região", diz Luciana Gatti, do LQA (Laboratorio de Química Atmosférica), coordenadora da pesquisa, em entrevista publicada pelo site da Folha.

As maletas e os cilindros de vidro que elas carregam, diz a cientista, foram feitos sob medida para o trabalho de monitoramento atmosférico do Ipen. Por isso, não teriam outra serventia.

De acordo com Gatti, como os equipamentos são exclusivos e não teriam valor de mercado, eles foram declarados com um valor "simbólico" de R$ 500.

"Eles têm apenas valor científico. Não podem ser usados para outra coisa. Nós nunca esperamos que esse equipamento pudesse ser roubado. Meu maior medo era que ele se quebrasse no manuseio", disse.

Em nota, a TAM afirmou que o Ipen poderá ser ressarcido, levando em conta o valor declarado.

Segundo Gatti, no entanto, o maior prejuízo é científico. Mesmo que houvesse verba para comprar outras maletas, elas levariam, no mínimo, seis meses para ficar prontas.

Agora, sem três dos dez kits, a periodicidade do monitoramento está ameaçada. "Faço um apelo pela devolução. Essas coisas não têm serventia nenhuma fora do meio científico", diz Gatti.

FONTE: D24 AM

Roubos de caminhões crescem no 3º tri

Número de ocorrência cresceu 39,7% na comparação entre o primeiro e segundo trimestre.A insegurança nas estradas brasileiras aumentou nos últimos três meses comparada ao período anterior, ao menos é o que indica o levantamento da Tracker Brasil, empresa de rastreamento e monitoramento de veículos. De acordo com estudo, no terceiro trimestre em relação ao segundo deste ano, os roubos de caminhões cresceram 39,7%, passando de 68 ocorrências para 95.

Embora o número de ocorrência tenha aumentado na comparação entre os dois últimos trimestres, houve queda nestes tipos de incidência nos últimos doze meses, passando de 467 para 254. “As transportadoras investem cada vez mais em segurança. Muitos caminhões hoje têm dois rastreadores. E os bandidos sabem disso”, explica Carlos Alberto Betancur, diretor de Operações da empresa.

Até este momento, São Paulo é o Estado com maior número de roubos com, aproximadamente, 70,37% das ocorrências, em seguida aparecem Minas Gerais, 12,5%, e Rio de Janeiro e Paraná, ambos com 4,63%. Estes dados indicam porque o Sudeste é a região com maior parcela dos furtos a caminhões do Brasil com quase 88,43%.

No ranking das 10 cidades mais perigosas do país, aparecem oito municípios paulistas: São Paulo, Guarulhos, Campinas, Santo André, Mairiporã, Indaiatuba, Jundiaí e São Caetano do Sul. Rio de Janeiro e Curitiba completam a lista”, afirmou Betancur.

FONTE: GUIA DO TRC

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

(PR) Empresários prestam esclarecimentos na CPI dos Portos

Os empresários Juarez Moraes e Silva, diretor superintendente do Terminal de Contêineres de Paranaguá S. A. (TCP), e Valmor Felipetto, procurador da Harbor Operadora Portuária, afirmaram nesta terça-feira (18), durante depoimentos à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Portos de Paranaguá e Antonina, que a falta de investimentos prejudicou o desenvolvimento da atividade portuária no Estado.

Ambos fizeram relatos detalhados sobre as atividades desenvolvidas e disseram acreditar que os trabalhos da CPI vão permitir que seja repensado o atual modelo de gestão portuária. A CPI investiga denúncias de desvios de cargas, fraudes em licitações, existência de empresas "laranjas", tráfico de influência e desvio de recursos públicos. Juarez Moraes e Silva relatou como funciona o TCP, instalado segundo modelo espanhol, "fruto de uma proposta de modernização dos portos desenvolvidos pelo Governo da época". Ele lembrou que os navios operam de forma globalizada e que todas as operações no país estão submetidas à lei federal nº 8.630/93.

Assim como Moraes e Silva, Felipetto também fez uma detalhada contextualização das operações da Harbor, que atua no segmento de fertilizantes. "São três operadores neste setor, responsáveis pela movimentação de 45% dos fertilizantes consumidos no país e que passam por Paranaguá", informou Felipetto. O procurador da Harbor também discorreu sobre o Terminal Público de Fertilizantes (TPF), mas deixou claro que não acompanhou a discussão do projeto e nem o início da implantação da proposta. Na avaliação dele, o TPF (que ainda não está em operações e exigiu um investimento público de cerca de R$ 20 milhões) já pode ser considerado "ineficiente" pelas condições de infraestrutura e logística.

De acordo com Moraes e Silva, os navios cresceram de 200 metros de comprimento para mais de 300 metros. "O que acontece quando recebemos dois navios com essa metragem nova num cais que tem 564 metros?", perguntou o empresário aos deputados. "Invadimos os berços vizinhos, o que nem sempre é permitido", respondeu. Ele revelou ainda que o TCP já recebeu solicitações de clientes para descarregar containers, no próximo ano, de navios com cerca de 350 metros. "Isso exige uma nova estrutura, uma reavaliação da logística", frisou.

Para os dois empresários, além das questões de metragem do cais, outro aspecto preocupante é o da ausência de dragagem dos portos. Conforme o superintendente do TCP, há recursos federais sendo destinados pelo governo federal para ser aplicado na modernização dos portos brasileiros. Só no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) estão sendo disponibilizados R$ 5 bilhões. "O Paraná não pode ser tímido e precisa reivindicar recursos para aperfeiçoar o seu sistema portuário", declarou. Ele também explicou o funcionamento dos dois scanners usados no terminal: um é do TCP e outro da Receita Federal. Informou que estão sendo feitos investimentos na ordem de R$ 180 milhões e modernos scanners (com maior resolução) serão instalados até o final de 2012.

Trabalho – Durante a audiência os empresários foram questionados ainda em relação a possíveis dívidas relacionadas com ações trabalhistas. A CPI tem informações de que a APPA (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina) enfrenta um passivo de quase R$ 500 milhões. Tanto Moraes e Silva quanto Felipetto informaram que contam com mão de obra contratada através do regime CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e com o serviço do contingente portuário que responde por requisição, e que não enfrentam grandes demandas na Justiça do Trabalho.

Em relação às taxas e custos operacionais, garantiram que seguem as normas estabelecidas pela legislação vigente, que estão cumprindo com o que estabelecem a Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) e a Secretaria dos Portos da Presidência da República.

No Brasil é a Antaq que regula, supervisiona e fiscaliza as atividades de prestação de serviços de transporte aquaviário e de exploração da infraestrutura portuária e aquaviária, harmonizando os interesses do usuário com os das empresas prestadoras de serviço, preservando o interesse público. E entre as atribuições e competência da Secretaria está a formulação de políticas e diretrizes para o fomento do setor, além da execução de medidas, programas e projetos de apoio ao desenvolvimento da infraestrutura portuária, com investimentos orçamentários e do PAC.

Depoimento – Para o deputado Douglas Fabrício (PPS), presidente da CPI, os depoimentos desta terça-feira foram importantes porque esclareceram uma série de dúvidas dos parlamentares e contribuem para o desenvolvimento dos trabalhos da comissão. Ele destacou que há ainda muitos documentos sendo analisados e uma série de depoimentos previstos. "Acredito que, posteriormente, teremos condições de traçar propostas que estabeleçam uma nova realidade para os portos paranaenses", acrescentou.

Nesta quarta-feira (19), a partir das 10 horas, acontece uma nova reunião da CPI, na Sala das Comissões da Assembleia, e que deve contar com o depoimento de Maurício Ferrante, atual procurador Jurídico da APPA.

Participaram da reunião desta terça, além do deputado Douglas Fabrício, os deputados Fernando Scanavaca (PDT), relator da CPI; Evandro Junior (PSDB), Pedro Lupion (DEM), Stephanes Júnior (PMDB), Ademir Bier (PMDB) e Mauro Moraes (PSDB).

FONTE: BONDE NEWS

Transportadora não deve indenizar seguradora por seguidos roubos de carga

A Transjupira Transportes Rodoviários Ltda. não indenizará a Sul América Terrestres, Marítimos e Acidentes Companhia de Seguros S/A por três roubos de carga de mercadorias da Semp Toshiba Amazonas S/A. Para a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), não foi demonstrada a negligência da transportadora capaz de culpá-la pelos eventos, ocorridos antes da vigência do novo Código Civil.

A ação da Sul América foi primeiro julgada improcedente, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) inverteu o entendimento da sentença. Para o juiz, a autora não demonstrou conduta ou circunstância que indicasse negligência da transportadora apta a contribuir para os roubos, nem que eles fossem previsíveis ou que ocorressem constantemente. Conforme a sentença, os sinistros pagos, ainda que vultosos, integrariam o risco da atividade da seguradora, não podendo ser transferidos à ré.

O TJSP, no entanto, observou que os motoristas viajavam sozinhos e estacionaram próximo de favela, região em que ocorreu a maioria dos roubos, dentro do intervalo de três meses, com modo de operação similar. Para o TJSP, essas circunstâncias indicariam a previsibilidade dos roubos e a necessidade de adotar cautelas como escolta ou rastreamento dos veículos. “A transportadora sequer adotou um plano de rota e paradas em local seguro e vigiado, o que era fácil e rápido de ser implantado”, asseverou o acórdão estadual.

Dever do Estado

O ministro Luis Felipe Salomão esclareceu que no caso, como os fatos ocorreram entre 1996 e 1997, aplicam-se as regras do Código Comercial e da legislação especial. O tema específico é regulado pelo Decreto-Lei 2.681/12, que presume culpa do transportador por perda, furto ou avarias das mercadorias, excetuado o caso fortuito. “O roubo, por ser fortuito externo, em regra, elide a responsabilidade do transportador, pois exclui o nexo de causalidade, extrapolando os limites de suas obrigações, visto que segurança é dever do Estado”, afirmou o relator.

Ele indicou também doutrinas que incluem entre as obrigações essenciais do transportador observar a rota habitual. Assim, não seria cabível atribuir responsabilidade à transportadora por não ter alterado unilateralmente o itinerário, já que a segurada poderia, se necessário, ter proposto sua alteração. Mas, apesar dos roubos, foram pactuados novos contratos sucessivos de transporte das mercadorias

Para o ministro, o fato de os roubos ocorrerem por meio de bandos fortemente armados, com mais de seis componentes, não caracteriza negligência da transportadora. “Não há imposição legal obrigando as empresas transportadoras a contratarem escoltas ou rastreamento de caminhão e, sem parecer técnico especializado, dadas as circunstâncias dos assaltos, nem sequer é possível presumir se, no caso, a escolta armada, sugerida pela corte local seria eficaz para afastar o risco ou se, pelo contrário, agravaria o problema pelo caráter ostensivo do aparato”, completou.

O relator concluiu, citando a jurisprudência pacífica do STJ, que, se não ficar demonstrado que a transportadora deixou de adotar cautelas razoavelmente esperadas dela, o roubo constitui força maior e exclui sua responsabilidade. A decisão restabeleceu a sentença da 20ª Vara Cível de São Paulo (SP), inclusive em relação aos ônus de sucumbência.

FONTE:  JORNAL JURID

(AL,GO,MG,MT) Polícia divulga foto de chefe de quadrilha preso em Alagoas

Foi divulgado na manhã desta segunda-feira (17) pela Polícia Civil a fotografia do alagoano Sóstenes Alves dos Mártires, acusado de chefiar uma quadrilha que praticava roubo de cargas em fazendas nos estados de Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso.

Sóstenes foi preso durante uma grande operação, realizada no sábado (15), por policiais da Superintendência de Inteligência da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e da Delegacia Regional de Batalha. A operação foi desencadeada depois que o juiz Rodrigo Rodrigues de Oliveira, da Justiça de Goiás, expediu um mandato de prisão contra o acusado.

A operação nomeada de Sal da Terra, que desarticulou o grupo criminoso, descobriu que o alagoano era o responsável pelos os crimes de roubo de cargas e insumos agrícolas, em Goiás. Sóstenes foi preso na cidade de Pão de Açúcar, onde estava escondido desde o início das investigações em Goiás. Com os assaltos, o grupo já tinha faturado mais de R$ 20 milhões em mercadorias. Além do chefe, vinte e cinco integrantes da quadrilha já foram presos.

De acordo com comandante da Operação Sal da Terra, Douglas Pedrosa, delegado da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), de Goiás, R$ 10 milhões em mercadorias roubadas foram recuperados. Ainda segundo a polícia goiana, a quadrilha se dividia em dois grupos com a formação de dez homens em cada, sempre fortemente armados.

Além dos furtos, o grupo é acusado da morte de um funcionário de uma em Acreúna, também no estado goiano.

Durante a operação foram apreendidos rádios de comunicação, uma espingarda calibre 12 e outra 44, cinco pistolas e munição 380, além de outros equipamentos e blocos de notas fiscais frias e identidades falsas.

Sóstenes foi levado para a Casa de Custódia em Maceió, onde permanecerá preso até ser transferido para o Estado de Goiás, onde outros integrantes da quadrilha estão à disposição da Justiça.

FONTE: PRIMEIRA EDIÇÃO

(GO) Polícia recupera carga roubada avaliada em 2,2 milhões

Três carretas com mercadorias avaliadas em R$ 2,24 milhões foram recuperadas pela Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar). A operação, realizada pela Polícia Civil em parceria com as Polícias Rodoviárias Estadual e Federal e empresas de escolta armada, recuperou entre quinta-feira (13/10) e domingo (17/10) mercadorias de pás carregadeiras e televisões. Um motorista, que transportava uma das cargas roubadas, foi preso.

As investigações apontam que os ladrões sequestravam os motoristas dos caminhões, que eram mantidos em cativeiro por até um dia. Os rastreadores das carretas eram danificados para dificultar a localização dos veículos.

Entre as cargas recuperadas estão duas pás carregadeiras com valor estimado em R$ 142 mil. A carreta havia sido roubada em Luziânia e foi recuperada em Anápolis na quinta-feira. Outras duas carretas foram encontradas na sexta-feira (14/10).

Um carregamento lacrado de televisões avaliadas em R$ 455,9 mil, que havia sido roubado em Aparecida de Goiânia, foi recuperado na Capital. Os policiais encontraram ainda uma outra carreta, que teria transportado R$ 692 mil em canetas. A carga não foi recuperada, provavelmente, segundo os policiais, porque os ladrões conseguiram transferi-la para outro veículo antes da chegada dos agentes.

Prisão
A maior apreensão foi feita no domingo (16/10), quando os policiais recuperaram uma carreta com carga de televisões avaliada em R$ 1,643 milhão. A carreta com a carga, que tinha sido roubada no perímetro urbano de Goiânia, foi localizada em Prata (MG) e, segundo a polícia, seguia para São Paulo. O motorista, Cleberson de Lima dos Santos, foi preso em flagrante por receptação, crime com pena entre três e oito anos de prisão.

Cleberson, que não tem passagem pela polícia, afirmou que a carreta é dele e que foi contratado por uma pessoa, identificado apenas como Alexandre, para transportar a carga. Como estava com a nota fiscal original da mercadoria, Cleberson disse que não desconfiou que a carga era roubada. “Achei estranho ter que passar a carga de um caminhão para o outro, mas ele disse que o primeiro caminhão tinha quebrado, então não desconfiei”, afirmou.

O delegado responsável pelo caso, Ailton Costa Ligório, afirmou que a polícia ainda precisa investigar a versão dada pelo acusado. “O que está a favor desse motorista é o fato de ele não ter antecedentes criminais. Mas ainda precisamos verificar se ele foi somente uma pessoa contratada ou se fazia parte da quadrilha”, afirmou.

Quadrilha
As mercadorias, de acordo com o delegado Ailton Ligório, seriam vendidas por valor até 60% abaixo do preço de mercado. Segundo o delegado, a expectativa é que esses crimes aumentem com a proximidade do Natal, quando o movimento de cargas nas rodovias do Estado é intensificado. A Polícia ainda não sabe quantas quadrilhas agem em Goiás. “De acordo com os nossos levantamentos, acreditamos que essas quadrilhas vinham de fora do Estado para agir na capital”. A Polícia ouviu os motoristas dos veículos roubados e, com as novas pistas, deve continuar as investigações para localizar outros membros das quadrilhas.

FONTE: A REDAÇÃO

(PI) Entrega de mercadorias na zona Leste é feita com Escolta

Há quase 2 anos o caminhão de uma distribuidora de bebidas só entra em alguns bairros com escolta.

A utilização de escolta armada para transportar objetos de valores é uma prática comum entre bancos e empresas que lidam, diariamente, com grandes quantias em dinheiro. Em alguns bairros da zona Leste de Teresina, porém, uma simples entrega de mercadoria para abastecer comércios da região tem demandado esse tipo de aparato e demonstra a insegurança em que vivem as famílias. Os comerciantes desempenham seu trabalho protegidos por grades e as entregas de mercadoria têm horário determinado para acontecer devido à quantidade de assaltos registrados.

Anderson Silva está trabalhando desde junho deste ano em um comércio próximo da sua casa, situada no Parque Firmino Filho. O que era para ser motivo de alegria se transformou em apreensão, pois nesse período ele presenciou o mais recente assalto ocorrido em seu local de trabalho. "Quando fico aqui sozinho, só atendo os clientes com a grade fechada. Fico trancado direto", confessa o jovem.

O dono do comércio onde o jovem trabalha é André Vinicius Neto. Ele mora no bairro há 15 anos e montou o estabelecimento ao lado de casa onde vive com sua família. Seu comércio já foi assaltado cinco vezes. "Aqui ninguém conta com a polícia. A partir do segundo roubo nem prestei mais queixa", informou, acrescentado que as residências também são alvos dos bandidos.

Há quase dois anos o caminhão de uma distribuidora de bebidas só entra em alguns bairros da região escoltado por uma empresa de segurança privada. "Os ladrões abordavam os caminhões e roubavam boa parte da mercadoria. Toda semana a gente vem entregar os produtos, mas só no período da manhã e sempre escoltado", confessou o funcionário

Manoel Mendes. Esse trabalho é feito duas vezes por semana e, além do Parque Firmino Filho, a escolta acompanha o caminhão nas entregas aos bairros Cidade Leste e Nova Teresina, todos na zona Leste da capital.

"A situação aqui é crítica. E não adianta a gente sentir medo, porque não temos outro lugar para morar e nem trabalhar. O jeito é conviver com esse problema", afirmou Francisco Marques, comerciante do Parque Firmino Filho há 15 anos.

A polícia reconhece a gravidade da situação. Segundo o Comandante de Policiamento da capital, Coronel Albuquerque-que, a ocorrência de homicídios e assaltos está fazendo com que essa região seja considerada a mais perigosa de Teresina.

Ele informou que a polícia identificou, a cerca de dois meses, um grupo de criminosos que praticava assaltos a comércios, ônibus e carros de entrega na região. Porém, eles já estão soltos. "A polícia prende, mas é preciso que a legislação seja mais rígida", observou o comandante.

Sobre as denúncias da falta de atuação da polícia, o Coronel Albuquerque informou que a região conta com um batalhão da Polícia Militar e com postos do Ronda Cidadão. "Cerca de 30 carros e motos fazem o policiamento ostensivo da área. Vamos intensificar os trabalhos para inibir a ação de bandidos nessa região da Grande Satélite", finalizou.

FONTE: 180 GRAUS

(SP,MT) Polícia confirma prisão do "mais procurado ladrão de carretas" em MT

A Polícia Civil confirmou, esta manhã, a prisão de Sidney Bittcurt, conhecido por "Homem Aranha". Ele foi localizado pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) em Jales, São Paulo. É acusado de roubar carretas e apontado pela polícia como o "mais procurado pelas em Mato Grosso". Ele havia sido preso em setembro deste ano, mas a polícia "paulista não tinha conhecimento de suas habilidades criminosas, nem que ele era procurado pela justiça mato-grossense".

Conforme os policiais, vários contatos foram feitos com a Polícia de São Paulo, contudo, lá eles não haviam conhecimento da prisão de Sidney. Acreditando ser realmente verídica a informação recebida, os policiais do GCCO encaminharam a Polícia Civil da cidade de Jales o prontuário de identificação civil e criminal do foragido Sidney Bittcurt. "Ao confrontar com as impressões digitais de pessoas presas envolvidas em roubo de cargas e carretas em uma recente operação feita pela Policia Civil de São Paulo, os policiais chegaram a pessoa de Antonio da Silva Barbosa preso no último dia 30 de setembro de 2011, durante recente operação de repressão a roubos e furtos de cargas naquele Estado".

De acordo com o GCCO, os policiais paulistas ficaram surpresos quando descobriram através das informações repassadas pela Polícia Civil de Mato Grosso que tinham sob custódia um dos maiores ladrões de cargas do Estado de Mato Grosso. O acusado estava detido com eles, fazendo uso do nome fictício de Antonio da Silva Barbosa.

Ele é procurado em vários estados da federação. Sua quadrilha tem ramificações no Estado de Rondônia, onde Sidney Bittcurt tem mandado de prisão decretado, além dos estados de Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Em Mato Grosso, a fuga do criminoso e dos colegas de celas é investigada pela Gerência Estadual de Polinter. O inquérito policial está em trâmite.

O foragido da justiça de Mato Grosso, Sidney Bittcurt, protagonizou em setembro de 2010 uma das mais espetaculares fugas da Penitenciária Central do Estado. Na ocasião empreendeu fuga da Penitenciária saindo pela porta da frente.

Ao fugir, Bittcurt levou ainda mais dois traficantes, incluindo Augusto Rodrigues Martins, apontado pela Polícia Federal como chefe de uma quadrilha de tráfico internacional de drogas e receptação de carretas, preso em novembro de 2009, e Anderson Luiz Oliveira Silva, preso por envolvimento com o tráfico.

Anteriormente, Sidney Bittcurt também tinha fugido da Penitenciária de Segurança Máxima da Mata Grande, em Rondonópolis, de onde sumiu de forma misteriosa em 22 de setembro de 2002.

Além de possuir um vasto histórico criminal, que compreende crimes de roubo, receptação, porte de arma, sequestro, latrocínio (roubo seguido de morte), formação de quadrilha entre outros ele ainda registra em seu currículo criminoso várias fugas de penitenciárias e cadeias.

Sidney Bittcurt adotou o codinome "Homem Aranha" devido a sua peculiar habilidade em roubar camioneiros e carreteiros que transportavam combustíveis. Durante os roubos "saltava sobre os veículos ainda em movimento" e, logo após, mediante emprego de arma de fogo e grave ameaça rendia os motoristas que, posteriormente, eram levados a cativeiros improvisados em meio à mata fechada.

FONTE: SÓ NOTICIAS

(SP) Falha em pedágio causa acidente e deixa um morto em rodovia de SP

Cancela não abriu e dois caminhões colidiram na manhã desta terça (18). Acidente aconteceu em praça de pedágio da Rodovia Carvalho Pinto.

Uma pessoa morreu após um acidente na praça de pedágio da Rodovia Carvalho Pinto em Caçapava, no interior de São Paulo, na manhã desta terça-feira (18). A cancela do sistema "Sem Parar" não abriu e dois caminhões bateram.

Os dois veículos estavam na pista sentido São Paulo, na altura do km 114. Segundo a polícia, a cancela do pedágio não abriu para o primeiro caminhão, apesar de o veículo ter o sistema instalado.

Outro caminhão que vinha atrás reduziu a velocidade, mas não conseguiu parar. No impacto, a carga de tubos para gasoduto se soltou e destruiu a cabine. O motorista morreu na hora. O veículo da frente levava o mesmo material. Eles viajavam para São Sebastião, no litoral paulista.

A batida ocorreu por volta das 4h30. A pista teve de ser bloqueada por mais de três horas. A perícia foi solicitada no local.

FONTE: G1 SÃO PAULO

(ES) Carro bate em carreta e pega fogo na BR-101 em Guarapari.

A vítima não foi identificada pelo Corpo de Bombeiros. Caminhoneiro não sofreu ferimentos, segundo PRF.

Um motorista morreu em um acidente na manhã desta terça-feira (18), na BR-101, em Guarapari. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um automóvel modelo Gol, com placas da Serra, seguia em alta velocidade no sentido Vitória-Guarapari quando bateu na traseira de uma carreta. Logo após a colisão, o veículo bateu de frente em outra carreta, a qual vinha no sentido contrário, e pegou fogo. O caminhoneiro, Crézio Rodrigues da Silva, de 29 anos, não sofreu ferimentos e afirmou que ainda tentou ajudar a apagar o fogo.

O acidente aconteceu por volta das 5h30, no quilômetro 328 da rodovia federal, próximo ao Trevo de Guarapari. A duas pistas da rodovia foram interditadas e um engarrafamento de quase dez quilômetros se formou nos dois sentidos. O trânsito foi interrompido e liberado por volta das 8h. O motorista do Gol morreu carbonizado e não foi identificado. O Corpo de Bombeiros esteve no local para conter o incêndio no veículo.

FONTE: G1 ESPIRITO SANTO

(SP) Dois homens são presos após roubo de caminhão na Grande São Paulo

Dois homens foram presos suspeitos de ataque a um motorista de caminhão na marginal Tietê, na madrugada desta terça-feira (18). Segundo a Polícia Civil, os detidos são integrantes de uma quadrilha especializada em alegar problemas em veículos de cargas. Integrantes da 3ª Divecar (Delegacia de Repressão a Desmanches Ilegais) do Deic (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado) apuram as atividades do grupo.

A vítima trafegava pela marginal Tietê quando recebeu o aviso do defeito. Ele parou no acostamento para verificar e foi dominado. Os suspeitos colocaram o motorista em um veículo e outro homem assumiu o volante do caminhão. Outras duas pessoas passaram a escoltar a carreta em um veículo Celta.

Os policiais que investigavam a quadrilha foram alertados sobre o roubo e encontraram o caminhão e a escolta na rodovia Presidente Dutra, região de Guarulhos, na Grande São Paulo. Após uma perseguição por alguns quilômetros, eles foram presos na cidade de Santa Isabel, também na Grande São Paulo.

Os homens que faziam a escolta se entregaram. Já o suspeito que conduzia o caminhão conseguiu fugir. Segundo o delegado Marcelo Bianchi, titular da DR Desmanches, os dois detidos apresentavam passagens por roubo e receptação. A vítima foi solta em Guarulhos.

FONTE: R7 NOTICIAS

(BA) Vítimas de acidente com caminhão são enterradas em Itaparica, na Bahia

Prefeitura do município de Vera Cruz decretou luto oficial por três dias. Algumas pessoas continuam internadas em hospitais de Salvador.

Os corpos dos quatro mortos no acidente que deixou cerca de 20 feridos na manhã de sábado (15), na ilha de Itaparica, região metropolitana de Salvador, foram enterrados neste domingo (16). Um caminhão desgovernado desceu um declive e atingiu os participantes de uma festa em homenagem ao Dia das Crianças.

Vítimas de acidente com caminhão são enterradas em Itaparica (Foto: Reprodução/ TVBA)Quatro pessoas morreram e onze seguem enterradas
(Foto: Reprodução/ TVBA)

De acordo com a prefeitura de Vera Cruz, município da ilha, duas crianças de sete anos de idade e um adolescente de 14 foram enterrados no período da manhã, enquanto uma mulher de 49 anos foi enterrada por volta das 14h30 no Cemitério do Marcelino, em Itaparica. Por conta do acidente, a prefeitura decretou luto oficial por três dias no município.

De acordo com a Secretaria de Saúde (Sesab), entre as vítimas que ainda estão internadas, uma menina de 10 anos permanece em estado considerado gravíssimo na UTI do Hospital Geral do Estado (HGE). O hospital informou quer até as 17h30 deste domingo outras duas vítmas permaneciam internadas na unidade. Um menino que estava no HGE foi transferido para o Hospital Agenor Paiva para ser submetido a uma cirurgia. Já no Hospital do Subúrbio, outras três pessoas, sendo duas crianças e um adulto, continuavam internados até o fim da tarde de domingo. As vítimas que foram atendidas no Hospital Geral de Itaparica já receberam alta médica.

O acidente

Cerca de 50 pessoas que participavam de uma festa em comemoração ao Dia das Crianças, organizada por uma loja de materiais de construção na Ilha de Itaparica, foram surpreendidas por um caminhão desgovernado, por volta das 11h de sábado (15).

O veículo envolvido no acidente prestava serviços à própria loja. Sérgio Sales, filho da proprietária do estabelecimento comercial onde ocorreu o acidente, contou ao G1 que testemunhas disseram que uma pessoa teria retirado o calço que mantinha o caminhão estacionado e o veículo saiu desgovernado e sem freio em direção às pessoas.

Ainda segundo Sales, uma sobrinha da proprietária e outros familiares também foram atingidos no acidente. Os proprietários da loja informaram que acionaram os policiais no momento do acidente e que prestaram socorro às vítimas.

O motorista responsável pelo caminhão fugiu do local, mas se apresentou à 24ª Delegacia de Vera Cruz durante a tarde. De acordo com um agente da unidade policial, o homem negou ter responsabilidade pelo ocorrido e afirmou que não estava no local na ocasião do acidente. Segundo o depoimento, o homem teria estacionado o caminhão na noite de sexta-feira (14) próximo à loja de material de construção, para a qual prestava serviço. Um 'calço' teria sido colocado nas rodas do caminhão para evitar que ele andasse.

O depoente disse ainda que fugiu do local com medo da reação dos familiares das vítimas, mas que acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para prestar o devido socorro.

Segundo a polícia, como o homem se apresentou espontaneamente, ele vai aguardar o andamento das investigações em liberdade.

FONTE:G1 BAHIA

(CE) Caminhoneiro suspeita que 'ajudantes' roubaram carga no Ceará

Carga foi roubada na rodovia BR-116 na manhã desta terça-feira (18).Caso vai ser investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas.

 Um caminhoneiro teve parte da carga roubada, na BR-116, na manhã desta terça-feira (18), em Fortaleza. Segundo o condutor do veículo, Erenilton dos Santos, os homens que chamou para ajudar a descarregar o caminhão são os suspeitos do roubo. O caso será investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas.

De acordo com Santos, toda a ação foi planejada pelo grupo, a começar pelo local escolhido para estacionar o caminhão, a oito quarteirões da empresa onde a carga seria entregue, no Bairro Montese. Para evitar roubos, os caminhoneiros costumam ficar dentro do caminhão, enquanto o ajudante vai a empresa entregar a nota fiscal. Neste caso, no entanto, o ajudante retornou e disse que houve um problema na entrega, de acordo com Santos.

Testemunhas dizem que um caminhão-baú parou ao lado do carro que estava sendo descarregado. Seis homens desceram e retiraram parte da carga. A ação durou cerca de 15 minutos.

FONTE: G1 CEARA

N. do A. “Atenção, já tive um Sinistro e uma Tentativa na mesma região, mesmo modus-operandi”

terça-feira, 18 de outubro de 2011

(SP) Conheça a campeã de mortes nas ruas de São Paulo.

Com nove óbitos em seis meses, a Av. Jacu-Pêssego passou a liderar o ranking de atropelamentos na cidade.

Uma morte por atropelamento a cada 20 dias. Essa triste estatística fez da Avenida Jacu-Pêssego, na Zona Leste, a recordista absoluta em acidentes fatais com pedestres entre as vias da cidade no primeiro semestre deste ano. O levantamento foi feito pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) a partir de informações do IML (Instituto Médico Legal) e de boletins de ocorrência. A cidade registrou quase duas mortes por atropelamento por dia no período, num total de 325 vítimas até o mês de junho.

A Jacu-Pêssego não figurava no ranking das vias com mais atropelamentos no ano passado. Recentemente seu traçado foi ampliado e hoje ela serve como ligação do trecho Sul do Rodoanel à Rodovia Ayrton Senna. O aumento no fluxo de veículos pesados e em alta velocidade fez da via uma espécie de prolongamento  do Rodoanel. “Junto com isso vieram as mortes”, afirmou Sandro Silva, que tem uma borracharia na esquina com a Avenida Maria Santana e só neste ano presenciou cinco atropelamentos no local, em um deles morreu seu vizinho que estava na calçada, no dia 22 de abril. “Eu tenho este ponto há dez anos e isso não acontecia antes da ampliação da avenida”, disse.

O lugar chegava a ser considerado calmo, como atesta outra vizinha, a dona de casa Damiana Mercedes, que mora há mais de 20 anos na região. “A gente contava os carros nos dedos da mão”, disse. “Hoje isso aqui está pior do que a Marginal Tietê.” Os piores horários são os do final da manhã e da tarde, quando estudantes atravessam a avenida – sem farol ou passarela no trecho – a caminho das escolas.
Para Eva Nunes, presidente da Associação dos Moradores da Vila Reis, o bairro que margeia esse pedaço da Jacu-Pêssego, o problema de atropelamentos virou caso de calamidade pública e a construção de uma passarela é prioridade absoluta para os habitantes do lugar. “Aqui de manhã fica cheio de mãe atravessando a avenida correndo com filho no colo, a caminho da creche”, contou. “Dá pena de ver.”

Perigo/  Para a CET, o novo perfil da via, que passou a ser um importante eixo de ligação da cidade, pode ter influenciado no aumento no número de atropelamentos. Desde maio, a companhia desenvolve o Programa de Proteção ao Pedestre para evitar mortes por atropelamento. Até setembro, contudo, as ações da campanha estavam restritas ao Centro, definidas como Zona Máxima de Proteção ao Pedestre.

Os moradores acusam a CET de omissão. Aqueles que podem estão de mudança, como a dona de casa Alda Almeida, que mora há 16 anos na avenida. “Eu coloquei minha casa à venda e estou louca para sair daqui”, disse. Os que não têm outra alternativa se conformam e trancam os filhos em casa para evitar uma desgraça. É o caso de Vanessa Soares, mãe de um menino de 12 anos, de uma menina de 3 anos e de um bebê de 11 meses: ninguém pode sair desacompanhado nem para ir até a esquina. A cachorra Pick não obedeceu a ordem e foi atropelada no começo do ano. Ela escapou com vida, mas agora manca de uma das patas.

O ranking da morte

As vias com mais atropelamentos no primeiro semestre do ano, segundo levantamento da CET

- Avenida Jacu-Pêssego / Nova Trabalhadores - 9

- Estrada de Itapecerica - 7

- Marginal Tietê - 6

- Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira - 4

- Av. Prof. Francisco Morato - 4

- Avenida São João - 4

- Estrada do M’Boi Mirim - 4

- Marginal Pinheiros - 4

- Avenida Ragueb Chohfi - 4

- Avenida Sapopemba – 4  

FONTE:  DIARIO DE S. PAULO

domingo, 16 de outubro de 2011

Caminhão mata 3 crianças e uma mulher na Bahia

(RJ) Ex-policiais do Noroeste detidos por participação em roubo de cargas

Uma ação conjunta das forças policiais de Santo Antônio de Pádua e de Itaperuna, realizada na manhã desta terça-feira (11/10), em São José de Ubá, no Noroeste do Estado, teve três homens detidos, sendo dois ex-policiais militares, um do Rio de Janeiro e outro do Espírito Santo, por denúncia de esquema em roubo de cargas na região.

Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça e pelo Ministério Público de Itaperuna. Ao todo 25 policiais militares de Itaperuna e do Serviço Inteligente de Itaperuna e Santo Antônio de Pádua participaram da operação que teve início nas primeiras horas desta terça.

As investigações tiveram início há cerca de 60 dias depois de denúncia anônima de que os roubos estariam acontecendo na RJ-168, que liga as cidades de Santo Antônio de Pádua e Bom Jesus de Itabapoana.

Foram apreendidas cinco armas, duas tocas ninjas, duas blusas e outros acessórios usados por policiais militares.

A ocorrência foi registrada na 143ª Delegacia Legal de Itaperuna. Os detidos prestaram depoimento ao delegado Maurício de Barros e se confirmadas duas participações, deverão responder por formação de quadrilha de roubo e porte ilegal de armas.

FONTE: URURAU

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

(MT) Acidente entre cinco veículos deixa mais dois mortos na Serra de São Vicente

Willian Gomes Carvalho,23, foi mais uma vítima de acidente de trânsito na BR-364 – Serra de São Vicente. Ele estava no carona em caminhão boiadeiro, quando tudo aconteceu. O veículo colidiu com uma carreta que estava parada no acostamento. Com o impacto, envolveram também no acidente, duas carretas e uma picape Hilux.

O motorista do caminhão que transportava gados, Luiz Gonzaga Carvalho,52, foi socorrido por uma equipe do Serviço Móvel de Urgência (SAMU), mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no Pronto-Socorro da Capital. Como seu estado era grave, foi preciso o auxilio de um helicóptero da Polícia Militar, contudo, nada adiantou. Informações da polícia dão conta que, o caminhão trafegava sentido Cuiabá, quando colidiu na traseira da carreta, que estava parada no acostamento há quase dois dias, por causa de problemas mecânicos.

Com isso, o trânsito ficou totalmente parado por quase quatro horas.

Outro acidente

Na última segunda-feira (10), outra pessoa morreu na Serra de São Vicente. O acidente envolveu quatro carretas e houve derramamento de carga na pista. Foram necessárias 10 horas de esforço concentrado da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar para controlar a situação.

FONTE: O DOCUMENTO

(SP) Morre vítima de acidente entre carro e carreta na Castello Branco

Colisão aconteceu no km 42, em Santana de Parnaíba, na Grande SP. Segundo Via Oeste, outras duas pessoas ficaram feridas.

Uma mulher morreu em um acidente entre um carro e uma carreta no km 42 da Rodovia Castello Branco, na altura de Santana de Parnaíba, por volta das 14h desta quinta-feira (13). Outra mulher e uma criança também ficaram feridas.

De acordo com a Via Oeste, concessionária responsável pelo trecho, o carro em que as duas mulheres e a criança estavam foi atingido frontalmente por uma carreta. O veículo maior seguia pelo sentido São Paulo da rodovia quando perdeu o controle, atravessou o canteiro central e atingiu o carro na pista sentido interior.

Ainda segundo a concessionária, umas das mulheres ficou em estado grave. A criança teve ferimentos moderados e foi socorrida pelo helicóptero Águia, da Polícia Militar.

FONTE: G1 SÃO PAULO