domingo, 27 de fevereiro de 2011

(SP) Roubo de Cargas no Estado de São Paulo tem redução de 6% em 2010

Santos e Campinas foram as duas macrorregiões que apresentaram aumento no número de ocorrências ano passado. O assessor de segurança do Setcesp, Coronel Paulo Roberto de Souza, analisou o cenário atual do Estado

O roubo de cargas em 2010 no Estado de São Paulo teve redução no número de ocorrências de 6,20% em relação ao ano anterior. As estatísticas são da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. No total, foram 7.294 ocorrências contra 7.776 em 2009.

Os prejuízos com valores subtraídos também foram reduzidos em 0,79%. Em 2010, foram R$ 281.970 milhões, contra R$ 279.756 milhões em 2009. Os maiores prejuízos foram no setor de eletroeletrônicos (R$ 73.132 milhões), carga fracionada (R$ 45.851 milhões) e alimentícios (R$ 30.978 milhões).

O especialista Coronel Paulo Roberto de Souza afirma que o setor comemora a redução, mas que é preciso não perder a noção de que os números ainda são elevados. “É preciso ficar claro que nós ainda consideramos que a resposta policial, embora ocorra, está aquém do que precisamos. Nós reivindicamos que se amplie essa atuação policial.

Principalmente no policiamento ostensivo, porque os roubos que ocorrem dentro das grandes cidades são inibidos quando o policiamento ostensivo está presente”, diz Souza, que é assessor de Segurança do SETCESP, entidade que representa as empresas de São Paulo e Região. O Coronel ainda mencionou a necessidade de reestruturar o Procarga, programa do Governo Estadual que atua no combate ao roubo de cargas.

De acordo com o levantamento, 78,35% dos crimes estão concentrados nas regiões urbanas da capital e grande São Paulo. Em segundo lugar, as rodovias aparecem com 21% das ocorrências. Essa distribuição reflete também no valor das cargas roubadas, como explica o Coronel Souza. “75% desses roubos são de valor até 30.000 reais, isso caracteriza roubos que ocorrem durante a movimentação dos veículos em área urbana”. Confira abaixo a tabela com a distribuição das cargas roubadas por valor:

O Coronel Souza também alertou que é preciso considerar que, apesar das reduções, duas regiões no Estado apresentaram aumento no número de ocorrências: Campinas e Santos. “Nesses dois lugares o roubo aumentou dentro de áreas urbanas, dos municípios. Nas rodovias houve uma relativa estabilidade. Mas este crescimento chama atenção por serem macrorregiões do Estado muito importantes”.

Prevenção

O especialista alerta para o fato de que, apesar da resposta policial os transportadores também precisem atuar na prevenção contra o roubo de cargas. “Para evitar ser roubado, o transportador precisa investir em gerenciamento de risco. Isso implica em tecnologias no veículo para se ter um controle completo, e em treinamento de pessoal. Os motoristas têm que saber como proceder em situações iminentes de risco”, diz Souza, em entrevista ao Portal Transporta Brasil.

FONTE: TRANSPORTA BRASIL

Postar um comentário