domingo, 20 de fevereiro de 2011

(PR,MT) Operação do PR expede mandado de prisão contra policial local

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Paraná deflagrou ontem pela manhã a Operação Trinca Ferro, que consistiu no cumprimento de 24 mandados de prisão em sete estados, inclusive em Mato Grosso. O grupo que possuía um esquema de roubos de cargas contava com a ajuda de um policial de Rondonópolis, suspeito de falsificar boletins de ocorrências de roubos de cargas.

No entanto, até a noite de ontem, o Gaeco do Estado não confirmou o cumprimento do mandado de prisão e de busca e apreensão.

De acordo com o coordenador estadual do Gaeco-PR, promotor Leonir Batisti, um mandado de prisão contra um policial de Rondonópolis, que não teve o nome divulgado, e um de busca e apreensão na cidade, foram emitidos pela Justiça do Paraná (Juízo de Direito de Cândido de Abreu-PR) e estariam de posse do Gaeco-MT.

Ainda segundo Batisti, o policial, lotado em Rondonópolis, falsificava boletins de ocorrência de roubos de cargas e é o único que tinha envolvimento com a quadrilha em Mato Grosso.

A operação foi deflagrada ontem pela manhã com o objetivo de cumprir 24 mandatos de prisão e 34 de busca e apreensão em 21 cidades de sete estados: Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rondônia e Goiás.

A quadrilha estava sendo investigada pelo Gaeco-PR há mais de dois anos. Conforme o Gaeco os fatos investigados envolvem desvios de mais de R$ 2 milhões em cargas de diversos produtos, dentre eles ferro, fertilizantes, açúcar, semente, tecidos, cosméticos e tratores, praticados entre os meses de abril de 2007 e setembro de 2010.
A quadrilha, que contava com envolvimento de policiais e motoristas e atuava em sete estados, é acusada pelos crimes de formação de quadrilha em crime organizado, corrupção passiva qualificada, corrupção ativa qualificada, furto qualificado, falsificação de documento público, inserção de dados falsos no sistema de informação da polícia e crimes de lavagem de dinheiro. Até o final da noite de ontem, nove pessoas já haviam sido presas.

FONTE: DIARIO DE CUIABA

Postar um comentário