sábado, 12 de fevereiro de 2011

(SP) PM impede roubo de 27 mil kg de açúcar em Jardinópolis

Quadrilha tenta desviar carregamento avaliado em R$ 34,2 mil, que seguia da cidade de Pontal para o Guarujá.

Uma equipe da Patrulha Rural, da PM (Polícia Militar), frustrou nesta terça-feira a ação de uma quadrilha, que tentou roubar um caminhão carregado com 27 toneladas de açúcar, na estrada vicinal Argeo Marchió, em Jardinópolis. A carga estava avaliada em R$ 34,2 mil.

Apenas um dos quatro suspeitos foi preso depois de uma troca de tiros com a polícia, no meio do canavial. A ocorrência envolveu até o helicóptero Águia, da PM de Ribeirão Preto.

Henrique Rodolfo Junqueira, 38 anos, foi pego depois de tentar fugir de dentro de um outro caminhão, que foi levado ao local para puxar a carreta com o açúcar.

Como a polícia chegou rápido, não houve tempo de acionar um dispositivo conhecido como cavalo e a carreta ficou com a parte dianteira no chão.

O açúcar seguiria de Pontal para o Guarujá. O dono da transportadora, que tem sede em Ribeirão Preto, não quis falar com a reportagem.

Tensão

Três criminosos renderam o caminhoneiro e uma mulher que viajava de carona com ele, em uma subida na vicinal, logo depois da ponte sobre o rio Pardo. "Eles chegaram em uma Saveiro e me fecharam na pista. Um deles entrou no caminhão e assumiu o volante até o local onde ficamos reféns", disse o motorista Joaquim Carlos Soares, 57 anos.

Ele e a mulher ficaram no meio de uma mata sob a mira do revólver de um dos criminosos, próximo ao canavial para onde o caminhão foi levado.

Os assaltantes quebraram o rastreador por satélite do veículo. "Ele dizia que não era para se preocupar porque o que interessava era a carga", afirmou a autônoma Eliana Bianchetti, 25 anos. Depois de libertados, os dois pegaram carona até Sertãozinho, onde procuraram a polícia.

Antes do roubo ser avisado pelo rádio da PM, a Patrulha Rural já havia encontrado o caminhão. "Só descobrimos o roubo depois que um dos assaltantes atirou", disse o soldado da PM Murilo Júnior.

FONTE: JORNAL A CIDADE

Postar um comentário