sábado, 22 de outubro de 2011

(SC) Superintendente da PRF apresenta os primeiros resultados no combate ao roubo de carga e de passageiros e fala do plano de atuação no Estado

Um operação conjunta das polícias Rodoviária Federal, Militar Rodoviária e Militar e Civil no território catarinense, em especial na divisa com o Paraná e na Fronteira com a Argentina já trouxe os primeiros resultados no combate ao roubo de carga e de passageiros, afirmou hoje o novo superintendente da PRF, Silvinei Vasques. Ele falou na reunião da Frente Parlamentar do Transporte da Assembleia Legislativa de Santa Catarina e o presidente da Fetrancesc, Pedro Lopes.

Vasques ressaltou que houve a desarticulação de uma quadrilha há poucos dias em Santa Cecília, no Meio-oeste e que houve outro registro no Paraná, na rota da BR-153. Segundo ele, por isso, não houve mais registro naquele local nos últimos dias, região que vinha tendo uma série de ataques a ônibus de passageiros e a veículos de carga, constatado em números registrados na Polícia.

O assunto foi inclusive motivo de debates da Frente da Comissão de Transporte da Alesc e de um pedido de ação mais efetiva de Lopes e dos representantes das empresas de transporte de passageiros. O presidente da Fetrancesc elogiou as primeiras ações, para ele o destaque é esse trabalho conjunto e afinado entre todas as policiais e a visão estratégica de como o sistema precisa funcionar.

Vasques adiantou que a operação continua e que por isso outras prisões podem ocorrer. Mas afirmou que esse tipo de crime é bastante complexo, porque os bandidos deslocam-se para regiões com maior facilidade para praticar os crimes. Segundo ele, pelo levantamento até agora realizado, esses criminosos são de fora de Santa Catarina que chegaram por que em seus estados houve cerco policial.

Pessoal do administrativo agora atua no patrulhamento

Mas garantiu que aqui também terá um forte combate ao crime. Ele apresentou a sua proposta para isso. Disse que deslocou 27 funcionários da área administrativa e mais sete devem ser removidos para reforçar os pontos com menor efetivo, além de outros policiais do litoral que foram para o Oeste. O efetivo é de 480 policiais, número muito abaixo das necessidades catarinenses.

Disse que quando estiver concluído o concurso os aprovados serão deslocados para a região Oeste onde é preciso maior cobertura, especialmente por ser área de fronteira, que precisa ter uma atuação mais forte e permanente, determinação da presidente Dilma Rousseff.

Além disso, o Estado vai ganhar mais quatro postos da PRF, em Guaraciaba, na BR-163, em Iporã do Oeste, também na BR-163; em São Carlos, que é na BR-283 e São Domingos, na BR-480. Essas duas últimas são de jurisdição para infraestrutura do estado, mas de segurança são da União.

Vasques disse que será um processo de transição normal já negociado com a Polícia Militar Rodoviária (PMVr), no qual aos poucos a PRF assumirá 3.600 quilômetros de segurança de trânsito, que são . Atualmente são 2.300 quilômetros. Também será montada uma delegacia regional em São Miguel do Oeste para atender aquela região e com isso haverá mudanças na abrangência de cada delegacia.

Mas o superintende afirmou que ainda não há o total de recursos para esses investimentos, que vai depender da direção geral em Brasil. No entanto, ressaltou que a diretora geral da PRF, Maria Alice Souza está determinada a fazer o reforço na estrutura da instituição em Santa Catarina. Que além de novos postos terá construção de postos para substituir os atuais que estão em situação de "misericórdia", como de Campos Novos, Xanxerê, Maravilha Rio Negrinho.

Essas obras devem receber verbas da Copa do Mundo de 2014, já que são rodovias por onde passam turista argentinos, uruguaios e paraguaios. Em Mafra, já encaminhar, solicitou apoio da Frente e da Fetrancesc, para que a secretaria da Fazenda ceda o imóvel onde funcionava o posto da receita estadual.

No local será montado um posto da PRF, enquanto a concessionária Autopista Planalto Sul edifique a unidade prevista em contrato, mas que está com alguns problemas na negociação com a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT).

Quanto à desativação do Posto na BR-280, em São Francisco do Sul, disse Vasques que são muitas as criticas, mas que a medida foi adotada porque não havia pessoal conforme determina a lei e que houve reforço no posto de Guaramirim. Além disso, segundo ele, os postos não são suficientes para coibir a violência e o desrespeito às leis. Para ele o que resolve são as viaturas, algumas já estão trabalham, que patrulham as rodovias.O superintendente disse que a PRF de Santa Catarina deverá receber mais um helicóptero e mais veículos e equipamentos.

O presidente da Frente, deputado Darci de Matos disse ao superintendente que é necessário achar uma solução melhor para o problema da BR-280 em São Francisco, porque existe demanda por maior segurança. Ele afirmou que está havendo patrulhamento e depois com a duplicação o posto ficará no ponto que possa atender adequadamente toda a região. O deputado Neodi Saretta também disse que as mudanças não podem implicar em fechamento de postos , em especial citou o de Concórdia. Vasques garantiu que isso não irá acontecer. Fonte: Imprensa Fetrancesc
Fotos: juraci perboni

FONTE: FETRANCESC

Postar um comentário