sábado, 15 de janeiro de 2011

(SP) Limeira é 'entreposto' para roubo de carga


Policiais rodoviários de Limeira conseguiram frustrar ontem os planos de uma quadrilha responsável pelo roubo de uma carga em Minas Gerais.

Horas depois do crime, patrulheiros interceptaram a carreta na Via Anhanguera. O motorista foi preso acusado de integrar o bando que promoveu o crime. Conforme alegou à polícia, antes de destinar finalmente a mercadoria roubada, Limeira seria um "entreposto" para o grupo.
Um carregamento com dois mil pneus automotivos, que eram transportados numa carreta-baú de uma empresa mineira, foi o alvo dos criminosos. O assalto aconteceu em São Gonçalo do Sapucaí (MG), durante a madrugada. E já no início da manhã, policiais rodoviários de Limeira foram informados sobre o roubo pela empresa que faz o rastreamento via satélite do veículo. Logo, patrulheiros localizaram a carreta nas imediações do km 143, por volta das 7h.

'ENTREPOSTO'

Responsável por dirigir o veículo, o motorista J.B.O., de 33 anos, morador em Sumaré, ao ser detido, confessou transportar uma carga roubada. E afirmou ter sido orientado pela quadrilha a deixar a carreta com a mercadoria no pátio de um posto de combustíveis na Anhanguera, em Limeira, no sentido Capital/Interior. Acabou preso em flagrante por roubo e formação de quadrilha.

O ASSALTO

Apesar da alegação de apenas conduzir a carreta, recai a J. a suspeita de ter participado do assalto, já que seria exímio na direção de veículos longos. Um dos criminosos que assumiu a condução após o caminhoneiro ser dominado no assalto também sabia dirigir a carreta com destreza, conforme a vítima ressaltou à polícia. Primeiro, dois homens invadiram a cabina. Um estava armado e rendeu o caminhoneiro enquanto o outro desbloqueou o veículo.

3º ELEMENTO

Um terceiro envolvido, em seguida à abordagem - que ocorreu enquanto a vítima pernoitava em um posto de combustíveis -, assumiu a direção da carreta e fez o retorno para seguir no sentido a São Paulo. Pararam na pista e dois dos ladrões desceram com o caminhoneiro. Havia outros dois carros na cobertura à ação. Num cafezal, foram cerca de três horas refém. Ao amanhecer, a vítima percebeu que não era mais vigiada e correu para a pista. Depois, comunicou o crime à Polícia Rodoviária Federal.

FONTE: JORNAL DE LIMEIRA

Postar um comentário