domingo, 23 de janeiro de 2011

(MG) Rodovia em Arcos tem início de fim de semana tumultuado

As chuvas no sul de Minas e no Rio de Janeiro não trouxeram prejuízos somente nessas localidades. Arcos também está sofrendo com a situação já que o município é um dos maiores produtores de calcário e não pode encaminhar a produção em tempo e de forma hábil para o Rio de Janeiro devido a danos na rede ferroviária.

Para suprir a deficiência, caminhoneiros foram contratados para fazer o transporte. Enquanto os caminhoneiros não recolhem a carga, os veículos ficam estacionados no pátio de um posto ou nas margens da BR354 e existem aqueles que lucram com a situação vendendo salgados e sucos para os caminhoneiros que aguardam o carregamento.



Quase 100 caminhões estão concentrados no pátio de um posto de combustível e, na falta de espaço, caminhões ocupam margem de rodovia e vias das marginais.

No dia 19 de janeiro, cerca de 49 caminhões esperavam carregamento em fila na MG170, próximo à entrada da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em Arcos. Os caminhões eram carregados com dolomita, matéria-prima produzida pela unidade arcoense da empresa, passavam pela balança para pesagem da carga e em seguida eram liberados. Na ocasião, motoristas chegaram a esperar mais de 6 horas pela carga.

Vander faz contato e informa sobre situação da carga. Foto: João Paulo Bueno

Já nessa sexta-feira (21 de janeiro), o número de caminhões aumentou consideravelmente sendo necessário que utilizassem o pátio de um posto de combustível para o estacionamento. Além daqueles estacionados no pátio, vários caminhões aguardam estacionados às margens da BR354, o que, segundo policiais militares, pode gerar multa aos caminhoneiros.

O caminhoneiro Vander Elias veio de Uberaba para receber a carga e fazer o transporte. Ele chegou a Arcos na manhã dessa sexta e já se deslocou à portaria da CSN responsável pelo carregamento por duas vezes, voltando ao pátio do posto com o caminhão vazio.

Assim como os outros, Vander foi orientado a voltar para a portaria somente quando for chamado pela empresa. Os motoristas serão avisados e à medida que alguns são liberados, outros se aproximam para receber o carregamento, para evitar o aglomerado desnecessário no trânsito da MG170, nas proximidades da CSN.

“Cheguei em Arcos e fui até lá na empresa carregar, mas cheguei lá e não consegui. Então estou aqui aguardando eles me chamarem. O trailer do lado está recebendo a comunicação e está chamando cada um dos motoristas”, comentou o caminhoneiro.
Cerca de 70 caminhões de diversas partes do país estão aglomerados no posto.

Polícia deve punir caminhoneiros que utilizarem a rodovia como
estacionamento; vendedor de salgado aproveita movimento

De acordo com o sargento da Polícia Militar Rodoviária, Osmânio de Paula, os caminhões poderão ser multados caso estacionem às margens da rodovia. “Enquanto eles estiverem utilizando o pátio do posto para estacionar, não há problema algum. Caso algum deles venha a estacionar na pista, a atitude será cabível de notificação com multa, e caso haja reincidência, o veículo poderá ser removido”, afirmou.

O sargento informou ainda que a Polícia Militar Rodoviária já vinha acompanhando a situação dos caminhões que aguardam carregamento de minérios em Arcos. “Já fomos notificados da situação, mas até o momento não havia nenhuma reclamação quanto a caminhões que usam a rodovia como estacionamento,” finalizou o sargento, que prometeu para a tarde desta sexta-feira (21 de janeiro) uma operação em Arcos.


Carlos aproveita a situação e lucra com venda de salgados e sucos. Foto: Ivis Andrade

No meio da espera, existem aqueles que acham uma forma de lucrar com a situação. Carlos Eduardo percebeu que o grande movimento provocado pelos motoristas que aguardam o carregamento de dolomita no posto de combustível desativado, poderia gerar uma renda extra para a família. O eletricista encheu o carro de salgados e se “instalou” junto com os caminhoneiros no pátio do posto.

Tanque passou por Arcos e causou paralizações no trânsito. Foto: João Paulo Bueno

“Cheguei agora mas sei que vai vender bastante. Tenho aqui salgados, sucos, tudo para os caminhoneiros que estão esperando o carregamento”, disse Carlos Eduardo.

Até o momento, Carlos Eduardo era o único comerciante que havia chegado até o local da concentração de veículos. Mas caso a espera continue, outras pessoas aproveitarão a situação, já que são poucas as opções de alimentação próximas ao lugar aonde os caminhoneiros estão.

Transporte de tanques de grande porte agrava situação

Se não bastasse o tumulto gerado pelo atraso no carregamento de caminhões, o transporte de um tanque prejudicou o trânsito na BR354. O tanque vai para Fortaleza, no CE, e passou por Arcos na tarde desta sexta-feira. Mesmo com a escolta e sinalização no transporte, motoristas que seguiam atrás da carreta, tiveram que aguardar até que o veículo desse passagem.

O caminhão com a carga de grande volume tem mais de 25 metros de comprimento e 5 metros de largura e transita com pouca velocidade.

No dia 07 de janeiro, um transporte semelhante também parou o trânsito em Arcos.Três caminhões que faziam o transporte de tanques de cerveja passaram pela avenida Laura Andrade no bairro Jardim Bela Vista em Arcos, deixando o trânsito tumultuado.


Fila de veículos se forma atrás de caminhão que transporta tanque. Foto: Ivis Andrade

A altura excessiva das cargas, aproximadamente 15 metros, não permitia que os veículos passassem tranquilamente pela via. Na ocasião, profissionais da CEMIG e policiais militares estiveram no local para prestar o suporte necessário.

FONTE: NOH

Postar um comentário