quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Retrospectiva 2010

Veja os principais acontecimentos do transporte de cargas do último ano

Como foi o ano de 2010 para você? A enquete do Portal Transporta Brasil revelou que, para mais da metade dos leitores que votaram, este ano não teve um balanço positivo. As chuvas excessivas do começo do ano representaram um período de prejuízo a transportadoras; as restrições a caminhões nos principais centros urbanos do Brasil comprometeram o trabalho de algumas empresas, e um estudo sobre as rodovias brasileiras revelou o estado precário de mais de 20% das estradas do País.

Apesar disso, 2010 também foi marcado pelo aquecimento das vendas no setor automotivo, principalmente no segmento de veículos comerciais de carga, pela queda nos índices de roubo de cargas, prolongamento dos incentivos do governo para a aquisição de caminhões, entre outros acontecimentos, motivos de comemoração para o setor.

O Portal Transporta Brasil cobriu os principais acontecimentos do ano no transporte de cargas. Confira na Retrospectiva 2010 alguns dos momentos mais importantes do setor nos últimos 12 meses.

Início de ano com chuvas excessivas e prejuízo

O ano de 2010 iniciou debaixo de chuvas excessivas em todo o Brasil. De acordo com a Central de Gerenciamento de Emergência, a capital paulista registrou o janeiro mais chuvoso desde sua criação, em 1995. O tempo atípico gerou complicações para os mais diversos setores, inclusive para o transporte de cargas. Segundo empresários paulistas, os alagamentos em decorrência das fortes chuvas chegaram a causar um prejuízo diário de mais de R$ 300 milhões para o setor. As enchentes também provocaram o isolamento de diversas empresas. Além disso, centros de distribuição importantes da região, como o Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) foram alagados.

Combate ao roubo de cargas ganha força em São Paulo

Apesar do salto de mais de 16% nas ocorrências de roubo de carga de 2008 para 2009, em São Paulo, a reativação do Procarga (Programa de Prevenção de Furtos, Roubos e Desvio de Cargas) em novembro de 2009 trouxe melhores resultados para este ano. Em fevereiro, uma das ações do programa do Governo foi a criação do 1º Curso de Especialização em Investigação e Repressão aos Crimes de Furto, Roubo, Apropriação Indébita e Receptação de Cargas. Desde janeiro deste ano, as aulas capacitam policiais civis para o combate aos crimes contra cargas. Nos primeiros três meses de 2010, a queda em relação ao ano passado já era de 11,57% no Estado, de acordo com números da Secretaria de Segurança Pública e de entidades do setor. Em setembro, o mesmo estudo revelou que a tendência de queda permanecia, com diminuição de 10,5% nas ocorrências. Nos últimos números, divulgados em novembro, a queda chegava a 10,8%.

Procaminhoneiro se estende por mais um ano

O programa do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento) de estímulo ao crédito para aquisição de caminhões novos e usados, com foco nos transportadores autônomos, teve seus prazos estendidos por mais de uma vez no ano. O projeto gerou polêmica entre os caminhoneiros, que encontraram inúmeras dificuldades na obtenção do crédito, falta de informações no banco e muita burocracia. Apesar disso, o BNDES considera o programa um sucesso, e anunciou em março deste ano, a prorrogação do projeto, que terminaria em julho, para 31 de dezembro. Em novembro, este prazo foi novamente estendido para 31 de março de 2011.

Mais da metade dos transportadores rodoviários de carga não foram cadastrados no RNTRC

Mesmo depois de ter estendido o prazo para recadastramento no RNTRC (Registro Nacional de Transportador Rodoviário de Cargas), em 2009, para 31 de dezembro de 2010, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) registrou durante todo o ano uma baixa procura por parte dos transportadores. A alta burocracia no momento de efetuar o registro, que é obrigatório, foi a principal alegação para o alto índice de negligência. Em fevereiro de 2010, a ANTT havia recadastrado apenas 196.500 transportadores, 17% do total esperado pela agência. Em agosto, o número de recadastrados subiu para 25% da meta de 1.154.356 registros. Num último levantamento, em outubro, há pouco mais de dois meses para o encerramento do prazo, o Portal Transporta Brasil revelou que mais da metade dos transportadores não haviam realizado o cadastro. Até 30 de setembro, a ANTT contava com apenas 317.382 registros, aproximadamente 27% da meta da agência.

IPI zero para caminhões durante todo o ano

O incentivo do governo federal, por meio do ministério da fazenda, garantiu durante 2010, a isenção do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para caminhões, implementos rodoviários e tratores. A desoneração acabaria em 1º de julho, mas foi ampliada por mais seis meses. O governo também anunciou em junho a prorrogação do redutor de 40% aplicado sobre o Imposto de Importação de peças sem similar no País para a indústria automobilística.

São Paulo inaugura Trecho Sul do Rodoanel

O Trecho Sul do anel viário foi aberto ao tráfego no dia 1º de abril, duas décadas depois de o projeto ter sido concebido. A ideia principal foi aliviar o trânsito de veículos de carga de dentro dos centros urbanos, interligando as principais rodovias que cortam a cidade de São Paulo. Nos três primeiros meses, o trecho já havia ultrapassado a marca de três milhões de veículos, sendo 35% do fluxo composto por caminhões. Porém, a falta de sinal GSM, de telefonia celular, foi motivo de preocupação para os transportadores. Mais de quatro meses depois da inauguração, a via ainda apresentava falhas na cobertura, num raio de 16 km. A perda de sinal comprometia a segurança dos veículos de carga, que ficavam sem contato com sua central. O problema gerou restrições por parte das seguradoras, que não estavam cobrindo cargas acima de R$ 60 mil que passavam pelo Rodoanel, e, em alguns casos, exigiam que as transportadoras não utilizassem a via.

Fim da carta-frete

Uma lei publicada no mês de junho tornou proibido o pagamento a transportadores autônomos por meio da carta-frete, modo informal de remuneração que prejudicava o contratado. Ficou estabelecido desde então, que o pagamento a transportadores autônomos deve ser realizado em forma de crédito em conta bancária ou outro meio regulamentado pela ANTT. A aprovação da lei regulamentadora foi comemorada pela categoria, principalmente porque a movimentação bancária poderia, a partir de então, servir como instrumento de comprovação para o crédito do Procaminhoneiro, viabilizando o programa.

Caminhões perdem espaço dentro dos centros urbanos

Desde julho desse ano, diversas prefeituras municipais vêm restringindo a circulação de caminhões nas principais vias das cidades como forma de melhorar as condições de trânsito. A primeira cidade a proibir a circulação de veículos pesados foi São Paulo (SP). No dia 28 de julho, o prefeito Gilberto Kassab anunciou a restrição de caminhões na Marginal Pinheiros, Roberto Marinho e Bandeirantes. Em setembro, os veículos também foram proibidos de circular em vias de bairros residenciais, como o Morumbi. Em agosto, três bairros de Porto Alegre (RS) também adotaram a medida. A circulação de caminhões ficou proibida em horários pré-determinados no Centro Histórico da cidade, no bairro Moinho de Vento e nos perímetros da Cidade Baixa. Outra cidade a proibir o trânsito de veículos pesados de carga foi Curitiba (PR). A prefeitura anunciou em novembro a restrição de caminhões na Linha Verde a partir de março de 2011. Outras cidades da região metropolitana de São Paulo, como Taboão da Serra, e centros urbanos de outros estados, como o Pará, já adotaram ou estudam a possibilidade de adoção da medida, num fenômeno denominado “efeito São Paulo. Diversas entidades do setor, como o SETCESP (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região) e o SETCEPAR (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga do Estado do Paraná) se manifestaram contrários à medida, alegando que as restrições ameaçam o abastecimento dos centros urbanos. O Portal divulgou em matéria no mês de setembro, que indústrias da zona sul de São Paulo já estavam ilhadas pelas restrições, sofrendo com entregas de produtos e mercadoria. Em entrevista no mesmo mês, o especialista em urbanismo João Whitaker afirmou que a medida é paliativa e não resolve os problemas de trânsito, principalmente em grandes metrópoles como São Paulo.

Greve de caminhoneiros no Mato Grosso

A falta de infraestrutura nos terminais ferroviários da ALL em Alto Araguaia e Alto Taquari culminou em greve de caminhoneiros no mês de agosto. Os motoristas alegavam condições precárias de trabalho, como esperas para descarregamento de mais de 36 horas, falta de conservação das rampas e excesso de poeira nos pátios. Tais falhas na infraestrutura prejudicam a saúde do profissional e a integridade dos veículos. O movimento de paralisação foi organizado pela Fettremat (Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Mato Grosso) e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Terrestres e durou um dia, quando a ALL entrou em acordo com os profissionais. A administradora dos terminais propôs a pavimentação dos pátios, maior agilidade nas operações logísticas, gratuidade no uso dos banheiros, entre outras medidas. Mas, os problemas com infraestrutura, presentes desde o início das operações dos dois terminais, continuaram. O diretor-executivo da ATC (Associação dos Transportadores de Carga) concedeu entrevista ao Portal em outubro, e, entre outros assuntos, afirmou que a situação dos motoristas nos locais não melhorou.

Bom ano para o mercado de caminhões

Em 2010, o Brasil bateu recorde de venda de caminhões. Um estudo divulgado em outubro pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) mostrava um crescimento de 51,3% no emplacamento da categoria em relação a 2009. No mundo, o País despontou como um dos cinco maiores mercados de caminhão do mundo. Para empresários do setor, os principais motivos para o crescimento do mercado foram a rápida recuperação econômica do Brasil, e as políticas de incentivo do governo, como o Procaminhoneiro, o IPI Zero na compra de caminhões por motoristas autônomos e o Finame.

Eventos testam a habilidade dos caminhoneiros e valorizam a profissão

Dois eventos voltados para o motorista marcaram o ano de 2010: o Melhor Motorista de Caminhão do Brasil, e a 22ª Gincana do Caminhoneiro. As duas competições realizaram etapas em todo o território nacional ao longo do ano e, no segundo semestre, divulgaram seus vencedores. Ambos os concursos foram marcados pela presença feminina. Em sua terceira edição, o Melhor Motorista de Caminhão do Brasil, realizado pela Scania, consagrou a primeira finalista mulher da competição. Já a finalista da Gincana do Caminhoneiro é a segunda em 22 anos de concurso. Os concursos são importantes para reforçar a importância do caminhoneiro, valorizando a profissão e incentivando um maior engajamento por parte das empresas na profissionalização de seus motoristas.

CNT divulga estudo sobre condições das rodovias brasileiras

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgou em setembro a Pesquisa CNT de Rodovias 2010. O estudo revelou uma relativa melhora na condição das estradas, com um aumento de 10% no número de rodovias consideradas boas ou ótimas. Mas este número ainda é superado pelas estradas regulares (33,4%), ruins (17,4%) e péssimas (8%). As melhores estão concentradas na região Sudeste do País, principalmente no Estado de São Paulo e têm gestão concedida a empresas privadas. As regiões Norte e Nordeste abrigam as rodovias com piores condições.

Dilma Rousseff é eleita primeira presidente mulher do Brasil

O Brasil nomeou nestas eleições a primeira mulher para a presidência da República. Em 31 de outubro, Dilma Rousseff foi eleita com 56% dos votos e deve assumir o cargo em 1º de janeiro de 2011. Após o resultado, algumas entidades, como a ABEPL (Associação Brasileira de Empresas e Profissionais de Logística), se manifestaram para lembrar a eleita dos compromissos com a infraestrutura de transportes e logística do País, um dos principais desafios do novo governo.

Brasil tem safra recorde e falta de caminhões

O ano de 2010 apresentou crescimento de mais de 11% na safra de cereais, leguminosas e oleaginosas. Foram 148,9 milhões de toneladas de produção agrícola. Mas o crescimento evidenciou um problema que tem preocupado as transportadoras: faltam caminhões e mão-de-obra para o escoamento. O então diretor do SETCEPAR (Sindicado das Empresas de Transportes de Carga do Estado do Paraná), Laudio Luiz Soder, falou em outubro ao Transporta Brasil e explicou que a forte demanda tem encarecido o preço do frete, que já tinha aumentado em 20%, mas que a situação deveria ser normalizada até o fim do mês. O problema, porém, não foi solucionado, e a carência de motoristas deve seguir até o início do ano que vem.

Brasileiros pagam R$ 1,27 trilhão de imposto

O total de tributos pagos pelos brasileiros bateu novo recorde. O impostômetro, aparelho que calcula em tempo real o valor de impostos pagos no Brasil, chegou à marca de R$ 1 trilhão pelo terceiro ano consecutivo, e quase dois meses antes que nos anos anteriores, em outubro. Até dezembro, o total arrecadado foi de R$ 1,27 trilhão. O IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) estima que cada contribuinte tenha pagado em 2010 R$ 6.700. Um estudo realizado pelo instituto mostrou que o estado que mais paga impostos é São Paulo, seguido pelo Rio de Janeiro e Minas Gerais. Já os com menos arrecadação são Roraima, Amapá e Acre.

Deslizamento no Porto de Manaus (AM) deixa desaparecidos e causa prejuízo às empresas

O Porto Rodofluvial de Chibatão, em Manaus (AM), sofreu um deslizamento em outubro que comprometeu parte do pátio, soterrando dois trabalhadores e mais de cem carretas de contêineres. O principal porto de entrada de mercadorias do Amazonas recebia transportadoras de diversos estados. O prejuízo estimado, entre carretas e contêineres e cargas se aproximou de R$ 30 milhões.

FONTE: Marília Brandão, do Portal Transporta Brasil

Postar um comentário