domingo, 3 de abril de 2011

Carga: País busca amenizar roubo

Projeto de rastreamento vai vigorar em todo BR

autopista_caminhoes-cargaUso da radiofrequência em âmbito nacional minimizará roubos de carga

O Governo brasileiro está investindo R$ 20 milhões para adequar e desenvolver soluções para minimizar o roubo de cargas nas estradas do território nacional. Com isso, dará suporte ao “Projeto Brasil-ID”, criado pelas Secretarias de Fazenda dos Estados da União, Receita Federal e Ministério da Ciência e Tecnologia com o intuito de reduzir os riscos à fabricação e logística de mercadorias que circulam pelo País.

Implementado em caráter de testes, o Brasil-ID agrega os conceitos dos documentos fiscais eletrônicos, como a NF-e (Nota Fiscal Eletrônica), o CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) e o MDF-e (Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos) e utiliza um conjunto de tecnologias padronizadas, o que também viabilizará a inserção em todo o Brasil.

De acordo com informações do Governo, o recurso está sendo aplicado por meio da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) e Ministério da Ciência e Tecnologia. Coordenado pelo Encat (Encontro Nacional dos Administradores Tributários) e Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun, o sistema de identificação, rastreamento e autenticação de mercadorias será implantado em corredores estratégicos que abrangem 16 estados.

Além disso, será hospedado também em empresas da cadeia logística e em alguns segmentos mercantis. Com isso, o governo espera, além de promover a segurança, otimizar o comércio e a circulação nesses distritos.

Baseado na tecnologia RFID (Identificação por Radiofrequência), a tecnologia agiliza a fiscalização de cargas (inclusive as lacradas), a leitura automática da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e das notas fiscais na indústria e em toda a cadeia de distribuição.

No mais, as informações gravadas em todo o ciclo de vida do produto também é disponibilizada a qualquer momento e lugar por meio dos dispositivos e de comunicação sem fio, o que será útil em postos fiscais, empresas de transporte, distribuidores, indústria e ao consumidor final.

As informações dão suporte à identidade do produto, que passa a ter gravado o histórico dos eventos de transporte por qual passou, ou seja, suas rotas, possíveis tentativas de fraude, desvios (roubo ou furto), tempo de trajeto, custos associados, monitoramento e as transações, tudo em tempo real.

O “Brasil-ID” sai agora da fase piloto; no entanto, o Governo não informou em quanto tempo a solução será totalmente implantada no País.

FONTE: WEB TRANPO

Postar um comentário