terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

(PR) Caminhoneiro gaúcho é torturado em cativeiro durante quatro dias na região de Curitiba

Um caminhoneiro de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, viveu dias de terror nas mãos de bandidos em um cativeiro na região de Curitiba. Bastante nervoso e chorando muito, Eires Rodrigues, registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) nesta segunda-feira (20) sobre o sequestro que sofreu. O caminhoneiro disse que teve seu veículo roubado e passou quatro dias nas mãos de assaltantes em um barracão usado como cativeiro. Neste período, ele foi torturado e humilhado.

Rodrigues disse à polícia que foi abordado por seis homens armados na noite de quinta-feira (16), quando trafegava pela BR-116, em Quatro Barras, região metropolitana de Curitiba. Os bandidos o amarraram e o jogaram no porta-malas de um veículo. Rodrigues dirigia um caminhão Mercedes Benz carregado com 12 toneladas de carne suína, avaliada em R$ 120 mil.

Segundo o depoimento, o caminhoneiro foi levado para um barracão em um local próximo. Durante o cativeiro, Rodrigues contou que foi torturado. “Eles me bateram muito, me deixaram amarrado e pisaram nos meus pés e mãos. Eu sofri muito”, disse o caminhoneiro, chorando e bastante abalado.

Na segunda-feira (20) pela manhã, Rodrigues foi abandonado em um matagal e conseguiu caminhar até a estrada para pedir socorro. Ele descobriu então que estava próximo ao Contorno Leste, em Piraquara, também na região metropolitana de Curitiba.

A polícia acredita que os assaltantes mantiveram o caminhoneiro em cativeiro até conseguirem vender a carga e se livrar do caminhão. A família de Rodrigues veio de São Leopoldo, de avião, buscá-lo nesta segunda-feira.

Medo

Outro caminhoneiro também registrou um boletim de ocorrência na segunda-feira na DFRV dizendo que foi assaltado em Borda do Campo, São José dos Pinhais. Ele disse que foi abordado por homens armados e ficou cerca de 12 horas nas mãos dos bandidos até ser liberado.

Na última sexta-feira, em entrevista à Banda B, o dono de uma transportadora de Porto Alegre disse que caminhoneiros gaúchos e catarinenses estariam com medo de passar pelas rodovias de Curitiba e região metropolitana por causa dos assaltos frequentes. O empresário disse que muitos estão até repassando cargas a terceiros por causa do medo de ser assaltado aqui.

Aristóteles já foi caminhoneiro e veio a Curitiba registrar um boletim de ocorrência do roubo de um de seus veículos. Ele contou à Banda B que por várias vezes passou no trecho de Curitiba e região metropolitana, mas nunca teve medo. Agora, a situação é outra.  “Os caminhoneiros do sul não querem mais vir pra cá. Ontem um funcionário meu foi assaltado e vim aqui dar suporte. Hoje, um dos trabalhadores se recusou a fazer o trecho da BR-116 que passa por Curitiba”, disse.

O empresário relatou a maneira truculenta do assalto sofrido por seu funcionário. “O que assusta é a ação de cinema por parte dos bandidos. O motorista parou no posto na BR-116 e arrancou o caminhão. Os assaltantes do nada subiram em cima do caminhão para desengatar a mangueira de ar e fazer a carreta parar. Daí foi só render o motorista”, contou.

FONTE: PARANA ONLINE

Postar um comentário