segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

(PA) Motorista tenta aplicar golpe provocando próprio acidente

Com um roteiro digno dos filmes de Hollywood, o motorista, Divino Cristiano Araujo, 31 anos, arquitetou todo o plano do roubo de uma carga da empresa Eletrosat, que tem matriz em Tocantinópolis. É a acusação que pesa contra ele, que foi preso na sexta-feira, 10, na cidade de São Miguel do Guamá, e apresentado na noite do mesmo dia na Delegacia Regional de Imperatriz.

Com um carregamento de 1.300 caixas de óleo de cozinha o acusado partiu da cidade de Rio Verde, em Goiás. O destino final da carga seria a capital paraense. A Polícia Civil chegou até Divino quando recebeu a denúncia de que um caminhão estava sendo descarregado numa residência, no Bairro Parque Amazonas, em Imperatriz. O que chamou a atenção foi o horário incomum de descarga madrugada de quinta para sexta-feira.

Os investigadores da Delegacia de Roubos e Furtos estiveram na residência do cidadão apontado como Valtemberg, que não soube explicar a procedência das caixas de óleo e não apresentou notas fiscais dos produtos. No interrogatório, Valtemberg confessou que Divino Cristiano tinha deixado o produto e que tombaria o caminhão, em seguida diria que foi um acidente, venderia os produtos e dividiria o dinheiro com o morador do Parque Amazonas.

A princípio, a Polícia Civil não acreditou na versão de Valtemberg, mas, em contato com a Polícia Rodoviária Federal do Pará, foi confirmado o tombamento do caminhão e, pela conferência das notas fiscais, foi constatado que os produtos na casa de Valtemberg realmente pertenciam à carga tombada. Uma equipe de agentes de Imperatriz então se deslocou para a cidade de São Miguel do Guamá e prendeu em flagrante o motorista Divino Cristiano.

O delegado regional de Polícia Civil de Imperatriz, Francisco de Assis, se surpreendeu com a coragem do motorista em tombar o próprio caminhão.

O acusado de ser o receptador da carga, Valtemberg, foi autuado em flagrante e e foi preso, assim como Divino Cristiano, que é da cidade de Tocantinópolis, mas que após o pagamento de fiança foram postos em liberdade. O motorista confessou a trama à Polícia Civil Maranhense, como também Valtemberg confessou.

O empresário Lazaro Gomes, proprietário da empresa Elerosat, esteve em Imperatriz com o Delegado Regional de Polícia, onde tomou conhecimento mais detalhado dos fatos, e se disse muito surpreso, ja que seu motorista é uma pessoa conhecida e jamais imaginou que o mesmo procedesse da forma como agiu. (Com informações do Blog Esmael Teixeira)

FONTE: SURGIU

Postar um comentário