segunda-feira, 18 de julho de 2011

(SP) RMC registra 1,35 roubo de carga por dia

A Rodovia Anhanguera é uma das estradas com maior perigo para os motoristas que transportam cargas.

Pelo menos um roubo de carga é registrado por dia na RMC (Região Metropolitana de Campinas). Segundo dados da SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo), de janeiro a maio deste ano foram registrados 204 assaltos a transportadores de mercadorias nas 19 cidades que compõem a RMC - uma média de 1,35 roubo por dia.
Os números já representam um aumento nas ocorrências com relação a 2010.

Segundo estatísticas da SSP, em todo o ano passado foram registrados nas 90 cidades que compõem os Deinters (Departamentos de Polícia Judiciária de São Paulo Interior) 2 e 9, que integram as cidades da RMC, 551 roubos de carga - a secretaria começou a disponibilizar os números por cidade apenas neste ano. A média foi, nas 90 cidades, de 1,5 assalto a transportadores de mercadorias por dia.

Segundo estimativa do Sindicamp (Sindicato dos Transportadores de Cargas e Logística de Campinas e Região), os números devem ser maiores este ano, porque o maior volume de carga é transportado no último trimestre do ano, em virtude das datas comemorativas como Dia das Crianças e Natal.

Campinas, Sumaré e Hortolândia são as cidades que lideram o ranking dos roubos de carga. Por causa do Aeroporto de Viracopos, Campinas concentra mais da metade das ocorrências - 105.

Em Sumaré, foram contabilizados 35 assaltos e em Hortolândia, 19. Em quatro municípios, até maio não havia sido registrado nenhum roubo de carga: Engenheiro Coelho, Holambra, Santa Bárbara d’Oeste e Santo Antônio de Posse.

As cargas mais visadas, segundo estatísticas estaduais, são as de produtos alimentícios, eletroeletrônicos e cargas fracionadas, respectivamente.

PREVENÇÃO
Por conta do aumento de roubo de cargas na região, as transportadoras estão buscando diferentes formas de prevenção. Os caminhões geralmente possuem rastreadores, mas eles acabam sendo danificados pelos assaltantes, dificultando a recuperação dos produtos roubados.

A precaução que as empresas têm tomado é contratar escolta armada. Segundo o SindForte-Campinas (Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de Carro Forte, Guarda, Transporte de Valores, Escolta Armada, seus anexos e afins de Campinas e Região), as empresas que oferecem este serviço na região já registraram aumento de 5% a 8% de contratos no primeiro semestre deste ano.

O 4º BPRv (Batalhão de Polícia Rodoviária), responsável pela segurança rodoviária nas cidades da RMC, também planejou operações para coibir o roubo de cargas e caminhões nas rodovias que cortam a região. Neste mês, 30% de todo o efetivo está sendo deslocado para os locais com maior incidência destes crimes.

“Nosso serviço de inteligência fez este levantamento e este mês colocamos a operação em prática. Em uma semana, ainda não registramos um roubo de carga”, disse o capitão Ricardo Roberto Tofanelli, responsável pela 3ª Companhia do batalhão.

FONTE: REDE FOLHA DE NOTICIAS

Postar um comentário