sexta-feira, 24 de junho de 2011

(SP) Negócios em família

Pai, dois filhos, dois irmãos e mais quatro homens são presos acusados de roubo de carga e formação de quadrilha.

Nove homens foram presos por policiais militares na madrugada desta quarta-feira (22) na rodovia engenheiro Constâncio Cintra, a Itatiba-Jundiaí, acusados de roubo e formação de quadrilha.
Segundo boletim de ocorrência, a Polícia Militar recebeu várias ligações durante a madrugada informando que havia quatro veículos em atitudes suspeitas na estrada municipal Jorge Ferreira, no bairro Pinhal. Várias equipes da PM foram para o local e viram um Vectra, placas de Carapicuíba, saindo da estrada. O veículo foi parado e eles revistaram um homem. Na sequência, foi abordado um Fox, placas de Osasco, com mais três rapazes.

Em seguida, um caminhão com quatro homens foi abordado na base da Polícia Militar Rodoviária. Em revista ao veículo, os policiais localizaram uma pistola CZ 85 calibre 9 milímetros com 16 cartuchos. Outras viaturas avançaram pela estrada municipal e localizaram dois caminhões das Casas Bahia, carregados com aparelhos eletro-eletrônicos, que estavam sendo levados para Minas Gerais. Próximo aos veículos, um outro caminhão foi avistado e, quando dois ocupantes perceberam a ação policial, correram para um matagal.

Tudo em família
Entre os presos estavam o mecânico José Carlos Soares de Oliveira, 50 anos, e seus dois filhos, Ronaldo Soares de Oliveira, 26, e Gilberto Soares de Oliveira, 29, todos moradores de Carapicuíba.

Além do pai e seus dois filhos, foram presos os irmãos Rafael Alves, 28, e Rodolfo Alves, 26, moradores de Osasco, assim como Daniel Araújo David, 26. A PM também prendeu Edilson Gonçalves Santos, 45, residente em Jundiaí, e Fabio Vicente Ferreira Pires, 29, e Iverson Luiz de Andrade, de Carapicuíba.
Os carros e a pistola utilizados pelos ladrões foram apreendidos pela PM, assim como seis aparelhos celulares, R$ 1.860 em dinheiro e dois relógios de pulso.

Ao final da tarde desta quarta, os nove homens foram levados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Jundiaí. “Devido à periculosidade que esses homens apresentam, entramos em contato com o diretor do CDP para que ele abrisse uma exceção e os acusados fossem todos levados diretamente para lá, ao invés de serem encaminhados ao Centro de Triagem em Campo Limpo Paulista”, disse um policial civil. “Todos eles possuem ao menos uma passagem pela polícia. Alguns por formação de quadrilha, outros por receptação, entre outros crimes”

FONTE: DIARIO DE S. PAULO

Postar um comentário