domingo, 31 de outubro de 2010

Pesquisa CNT 2010 confirma melhora na condição das rodovias federais

Pode parecer noticia antiga, mas pra quem não viu, segue o resumo e link para analise
Evolução da malha já verificada pelo DNIT é fruto dos investimentos do governo em infraestrutura
As rodovias brasileiras tiveram nova melhora de qualidade no pavimento entre 2009 e 2010, segundo a Pesquisa Rodoviária da Confederação Nacional do Transporte -CNT, divulgada na última terça-feira (14). De acordo com o levantamento, 61,7%das rodovias federais são consideradas como "ótimas" e "boas". Esses dadosconfirmam análise feita pela Diretoria de Planejamento e Pesquisa do DNIT – DPP, que apontou em 2009, 50% das estradas classificadas como “boas”, contra 51% daCNT. Para 2010, o estudo ainda não está concluído, mas de acordo com a projeção da Autarquia esse número vai chegar a 57%.
O número de rodovias consideradas em estado ruim ou péssimo também foi alterado do ano passado para cá. Segundo a pesquisa CNT, em 2009 11,8% das pistas apresentavam condições péssimas ou ruins. Em 2010 esse número caiu para 10%. Para confirmar a evolução nas condições da malha federal, o total de rodovias em condições “regulares” caiu de 37,2% no ano passado para 28,3%, de acordo com a mesma pesquisa. Pela análise do DNIT, em 2009 esse número representava 35% das rodovias. Já as rodovias em condições ruins somavam 15% no ano passado contra 13% este ano, de acordo com a projeção do órgão.
Segundo o Diretor Geral do DNIT, Luiz Antonio Pagot, o aumento do número de rodovias federais em boas condições de tráfego é o reflexo dos investimentos do Governo Federal nos últimos anos. “O PAC tem um caráter de recuperação do tempo perdido, de resgate após muitos anos com baixíssimos investimentos na área de infraestrutura e que provocaram o sucateamento da malha rodoviária federal. Vamos trabalhar para garantir esses investimentos até 2014, que é o tempo necessário para estarmos com 100% da malha em boas condições”, destacou.
Para o DNIT, a análise feita pela CNT soma-se a da Autarquia constituindo-se, ambas, importante instrumento para o monitoramento e acompanhamento da evolução da malha federal. Atualmente, os investimentos em obras rodoviárias contam com recursos orçamentários de cerca de R$ 10 bilhões.
A pesquisa CNT foi realizada entre os dias 3 de maio e 8 de junho e abrangeu 90.945 quilômetros de rodovias em todo o país, dos quais 61.851 quilômetros são federais.
Levantamento da condição da malha – Em junho deste ano, o DNIT contratou os serviços técnicos de Levantamento Visual Contínuo (LVC) e de irregularidades (IRI). O objetivo é avaliar e quantificar o nível de defeitos da pista e o do levantamento de irregularidades dos pavimentos é obter um índice que serve como referência para medir o conforto do usuário na via. O levantamento será feito durante 18 meses em toda a malha rodoviária sob responsabilidade do DNIT. Com isso será possível identificar defeitos e características das pistas que, depois, serão traduzidos em índices descritivos da condição superficial dos pavimentos. Ao todo, serão realizados dois ciclos de levantamentos de seis meses intercalados por um período intermediário de igual duração.
FONTE: DNIT
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR ESTUDO COMPLETO
Postar um comentário